Dracena defende Auro e explica saída de Daniel Guedes

Auro foi contrato pelo Santos em fevereiro após a liberação de Daniel Guedes (Foto: Ivan Storti/Santos)


O executivo de futebol do Santos, Edu Dracena, explicou a situação da lateral direita no clube em entrevista ao Baixada Esporte, da TV Santa Cecília. Primeiro Edu saiu em defesa das contratações feitas para essa temporada, uma delas o lateral-direito Auro, que está emprestado pelo Toronto (Canadá) até o final da temporada.

- Eu acredito neles. Muito se questiona o Auro, o Maranhão, mas nós contratamos achando que vai dar certo. São momentos. O Maranhão me faz questionar. O que ele fez para a torcida não gostar. Falhou? Não dá passe longo? Não marca. Deixa ele jogar, pô. Se não der certo, dou a mão à palmatória. Mas precisa de tranquilidade e confiança. Ele já entra sendo vaiado pela própria torcida. Qual pessoa consegue trabalhar ouvindo que é ruim? Na minha opinião, eles vão render o que já renderam. Eu acredito nisso, o treinador também. Todos os jogadores que vieram foram num consenso. Nós nos reunimos, definimos o nome e passamos para o presidente. Acho que podem dar a volta por cima - defendeu o executivo.

Dracena também esclareceu sobre a saída de outros dois laterais-direitos revelados pelo Santos. Daniel Guedes e o clube rescindiram o contrato e Sandro, que foi capitão do Peixe no vice-campeonato da Copa São Paulo deste ano, saiu de graça depois de ter sido avisado que não teria seu contrato renovado.

- Acham que todo Menino da Vila vai virar craque. O campo não mente. O Daniel Guedes tinha contrato até dezembro e nós precisávamos de um lateral-direito. Eu não posso colocar ele para jogar sem renovar. A gente ofereceu um ano a mais de contrato. O Daniel ganhava muito mais que o Auro, não seria mais barato. E um jogador que tínhamos dúvida se ia performar ou não, haja visto que foi para outro clube e não está jogando. Meteram o pau em mim sobre o Sandro, saiu e não está performando. As pessoas não têm que entender que todo Menino da Vila vai ser titular. Se tem condição, vai ficar. Se não tem, vai para outro clube. São coisas que temos que ver e tomar decisão. Podemos errar e vou pedir desculpa se errar. Mas quando acerta, ninguém fala que acertou. A gente acompanha e vê evolução. Pode ser que Auro não jogue nada e tem contrato até dezembro. Não der certo? Vai por outro caminho. E só pagamos o salário menor que o do Daniel Guedes - explicou Edu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos