Dorival Júnior coloca Flamengo atual e Santos de Neymar como os melhores elencos que trabalhou

O técnico Dorival Júnior em participação no podcast "A Rodada" (Foto: Reprodução/LANCE!)


Entrevistado do podcast "A Rodada" desta sexta-feira, Dorival Júnior colocou o atual grupo do Flamengo como um dos melhores elencos que já trabalhou ao lado do Santos de Neymar, Ganso e Robinho, em 2010. No papo, o treinador falou sobre a recuperação da "moral" do grupo - que estava em baixa em 2022 - após a sua chegada ao clube.

- É um elenco muito interessante hoje. Há 70 dias vivia incertezas, dificuldades, todos questionados, ninguém mais servia. É para ver como as coisas mudam rapidamente desde que você tenha tomado posições. O que só se confirma, quando se tem a aceitação do seu grupo de trabalho. Foi isso que sentimos aqui dentro - completou:

- Todos reconhecem sendo um elenco diferente, talvez um dos melhores com que trabalhei, se não o melhor. Também trabalhei em um grande elenco em 2010, na montagem do Santos, que me deu um prazer muito grande - afirmou o atual treinador do Flamengo.

Confira outras respostas de Dorival Júnior ao podcast "A Rodada":

Recuperação do Flamengo sob seu comando

O treinador brasileiro está acostumado a problemas desse tipo, pegar equipes em meio de competições. Em uma situação como enfrentamos, isso já aconteceu com grandes equipes em nossas mãos, você acaba criando uma espécie de uma couraça na qual você conhece situações do clube. É minha terceira passagem pelo clube, eu conhecia a maioria dos jogadores do elenco. Tive cinco ou seis no Santos, o Filipe iniciou conosco no Figueirense, vários jogadores estavam em minha segunda passagem pelo clube.

É natural que façam um comparativo com a CT anterior. Eu não gosto desse tipo de situação. É preciso conhecer, a partir de um convite, eu nunca tinha saído de um clube no meio de um trabalho, tomei essa posição porque sentia que precisava voltar ao Flamengo e não sabia que teria uma segunda oportunidade. Algo me dizia que era o momento. Respeito muito o Ceará, jogadores, diretoria, mas chamei o presidente e expliquei toda situação.

Gestão dos goleiros do Flamengo

Eu tomei uma posição em relação ao Hugo em um sentido diferente do que as pessoas abordem. Eu não fiz pata tirá-lo de cena, mas para aquele momento passar, e que o Hugo trabalhando dentro de suas condições e qualidade, que ele tem muita, ele possa voltar em melhores condições, de repente não sendo responsabilizado por tudo que vinha acontecendo.

Sei que o jogador tem sua preparação para que assimile elogios e críticas, mas eu sentia que o Hugo estava se desgastando necessariamente. Pelo profissional e pessoa que é não merecia estar passando. É um grande goleiro, tenho certeza que no momento que estiver apto a voltar e a oportunidade ele vai aproveitar muito bem.

Com o Diego foi um grande mal-entendido, não tenho nada contra ele. Voltou como titular, mesmo voltando de lesão, e teve uma nova lesão por uma sobrecarga, e o Santos entrou no time. Hoje a equipe tem três grandes goleiros e preparados para qualquer situação.

Todos nós erramos (em 2018, no atrito com Diego Alves), mas é uma situação passada. Hoje é uma situação muito tranquila, clara, profissional e de muito respeito.