Dorival elenca virtudes do Flamengo contra o Vélez e atualiza situação médica de Arrascaeta


Dorival Júnior gostou bastante da atuação do Flamengo na goleada de 4 a 0 diante do Vélez Sarsfield, na noite desta quarta-feira, em Buenos Aires. O resultado encaminhou a classificação rubro-negra à grande final da Copa Libertadores.

+ ATUAÇÕES: Pedro faz hat-trick e comanda noite de gala do Flamengo na Libertadores

Em entrevista coletiva após o duelo, o treinador rasgou elogios à equipe e elencou os fatores que fizeram o Flamengo encontrar o caminho do gol com facilidade no estádio José Amalfitani.

- Prazeroso trabalhar com grupo que tem a busca por soluções que apresenta, tudo é assimilado rapidamente. Em duas partidas, talvez três, oscilamos em 24 jogos desde que cheguei. Nas demais cumprimos à risca o que foi solicitado. Feliz por tudo isso - disse Dorival, antes de completar:

- Tivemos pontos importantes. Momento nenhum abrimos mão da nossa saída de bola. Isso foi fundamental. Troca de movimentos, abrimos a solidez da defesa do Vélez. Variamos essa iniciação com jogadas pelo lado. Arrascaeta jogou solto maior parte do tempo, se apresentando como opção de organização. A determinação que a equipe demonstrou isso me faz acreditar que estamos dando passo a mais por regularidade ainda maior.

Vélez x Flamengo
Vélez x Flamengo

Flamengo goleou o Vélez por 4 a 0 (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

Outro tema da coletiva foi o meia Arrascaeta, que saiu no segundo tempo com dores na coxa. Apesar da preocupação inicial, Dorival Júnior disse acreditar que tenha sido apenas cansaço e descartou qualquer problema grave.

- Acredito que tenha sido coisa mínima, um cansaço talvez. Se desdobrou o campo todo, participação atuante na defesa também.

Com enorme vantagem, o Flamengo volta a enfrentar o Vélez na próxima quarta-feira, 7 de setembro, no Maracanã. Antes, a equipe entra em campo no domingo contra o Ceará, às 11h, pela 25ª rodada do Brasileirão.

Confira outras respostas de Dorival Júnior:

Situação no Campeonato Brasileiro
- Estamos fazendo um Brasileiro de recuperação. Chegamos na 14ª colocação. É um processo, hoje estamos na vice-liderança, tentando nos aproximar do Palmeiras. Não vamos abrir mão desse objetivo.

Vantagem nos mata-matas
- Na Copa do Brasil falta uma partida para chegar na final, assim como na Libertadores. Vamos respeitar os dois jogos, trabalhar no máximo, nada está definido. Vocês sabem bem o que representa uma possibilidade de recuperação. Ninguém chega por acaso numa semifinal, chega por capacidade. Temos que ter todo o cuidado possível. Todo cuidado é pouco, tem que existir respeito em todos os sentidos.

Confiança no grupo
- Confiança era grande porque conheço o grupo, a capacidade desse time. O momento de oscilação é natural numa sequência absurda de jogos. Depois de duas conversas, tudo foi esclarecido e sendo preparado para esse momento chegar. O adversário é muito difícil de enfrentar, temos que enaltecer esse resultado. Não é qualquer equipe que conseguiria.