Dorival adota estratégia diferente de Jorge Jesus em início avassalador no Flamengo


Técnico de um Flamengo em estágio diferente, Dorival Júnior tem muitos pontos em comum com Jorge Jesus, mas uma diferença importante. Enquanto o português dizia que não tinha motivos para rodar o elenco, o atual treinador aposta no rodízio completo para levar o Rubro-Negro mais longe em todas as competições.

+ Quem chega e quem sai? Confira o vaivém do mercado no Flamengo

A metodologia de Dorival se mostrou acertada nas últimas semanas. Com duas equipes diferentes (com exceção do goleiro Santos), Dorival manteve o grupo em boas condições físicas e conquistou resultados importantes no Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores.

Além de descansar os principais jogadores e prevenir lesões, a estratégia do rodízio permite que o treinador dê ritmo de jogo para mais atletas e mantenha a maior parte do grupo em alto nível.

+ Flamengo cumpre primeira das três principais metas esportivas da temporada

- Temos jogos importantes na sequência de Copa e Brasileiro. Não podemos abrir mão de maneira nenhuma, temos que nos manter vivos. É importante manter o elenco pronto e confiante como tem sido. São duas equipes titulares que têm honrado, vestindo e mantendo regularidade - disse Dorival, após a vitória sobre o Corinthians, na última terça-feira.

- Temos que continuar trabalhando, buscando a melhor equipe possível, que não considero titulares ou reservas. São jogadores do Flamengo e estão dando um ótimo resultado, quer joguem na quarta ou no domingo.

+ Flamengo tem sete jogadores em reta final de contrato; veja a situação de cada um

Uma realidade bem diferente do histórico time do Flamengo de 2019, que encantou o Brasil e conquistou uma série de títulos sem rodízio no elenco.

UM TIME COM JORGE JESUS

Jorge Jesus - Flamengo
Jorge Jesus - Flamengo

Jesus não adotava rodízio no Fla (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

- Minha cultura não é essa (de poupar). E os jogadores provam domingo a domingo. Descansar? Isso não existe. Vamos descansar nos dias que temos. Quinta, sexta, sábado... Domingo é para correr. Se tivermos jogadores com sinais de lesão, é outra coisa.

A declaração acima foi feita por Jorge Jesus antes de um Fla-Flu, pelo Campeonato Brasileiro de 2019 - o último duelo do Rubro-Negro antes do confronto contra o Grêmio pela semifinal da Libertadores.

Questionado por não poupar atletas ao longo do Brasileirão, a justificativa principal do treinador era a diferença de cultura entre futebol brasileiro e português. No entanto, somado a esse fator, havia também a grande disparidade entre titulares e reservas em determinadas posições no elenco do Flamengo.

O time-base de Jesus era composto por: Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Marí e Filipe Luís; Willian Arão, Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol. Uma escalação histórica, que ficou guardada na memória dos rubro-negros e que, nome por nome, pode ser considerada melhor que a atual do Flamengo.

+ Veja mais notícias do Flamengo

A diferença brutal está no banco de reservas. Na época, as opções de Jesus nas partidas mais importantes do ano, contra River Plate e Liverpool, eram: César, Rodinei, Rhodolfo, Thuler, Renê, Vinicius Souza, Piris da Motta, Diego, Reinier, Vitinho, Lincoln e Berrío.

DOIS TIMES COM DORIVAL JÚNIOR

Treino - Flamengo - 11/08/2022
Treino - Flamengo - 11/08/2022

Flamengo de 22 tem mais opções de alto nível (Foto: Marcelo Cortes/Flamengo)

A metodologia de poupar jogadores não é exatamente uma novidade no futebol brasileiro. Muito pelo contrário. Inclusive no próprio Flamengo, ela já foi adotada por outros treinadores, mas, na maioria das vezes, não deu resultado e foi criticada por parte da torcida.

A principal diferença do Flamengo atual é a força do elenco. Além de manter diversos nomes da equipe histórica de 2019, o time de 2022 conta com um plantel mais encorpado e com mais opções de nível internacional. Dorival, dessa forma, tem condições de montar duas equipes competitivas, sem queda significativa de nível.

O time principal de Dorival até o momento tem: Santos; Rodinei, David Luiz, Léo Pereira e Filipe Luís; Thiago Maia, João Gomes, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Pedro e Gabigol.

+ Confira a tabela do Brasileirão e simule os resultados

Na equipe alternativa, Dorival escala o Fla com 10 mudanças: Santos; Matheuzinho, Fabrício Bruno, Pablo e Ayrton Lucas; Diego, Vidal e Victor Hugo; Cebolinha, Lázaro e Marinho.

Fora dos dois times, ainda há jogadores de bom nível como Hugo Souza, Vitinho e Matheus França - além dos recém-chegados Pulgar e Varela e dos lesionados Diego Alves, Rodrigo Caio e Bruno Henrique. Por fim, Oscar pode ser mais um nome para ampliar ainda mais o leque de opções de Dorival Júnior.