Diniz nega falta de confiança em jejum de Cano no Fluminense e explica busca por substituto de André

Diniz tem mais dois treinos para definir escalação do Flu (Foto: Marcelo Gonçalves/Fluminense)


O Fluminense teve dificuldades, mas venceu o Fortaleza por 2 a 1, no Maracanã, com dois gols de Germán Cano, que encerrou um indigesto jejum de quatro jogos sem marcar. Após a partida, o técnico Fernando Diniz falou sobre a fase do centroavante e que a bola vinha entrando nos treinamentos.

- Cano é muito bom, mas não acho que estava sem confiança. Ele é muito seguro no que faz. Relação afinada entre nós desde o Vasco. Hoje antes do jogo estávamos falando para não pensar muito se a bola não entrar. Na semana, a bola entrou nos treinamentos. Quantos jogos não decidiu? Gols que faz, a entrega, parte tática. Não só o Cano, mas o Ganso, Arias, Matheus Martins. Atacamos e defendemos com todos. Vê a partida do Ganso, a mobilidade, assim ficamos muito competitivos - avaliou o treinador.

Sem Nonato, vendido pelo Internacional para o Ludogorets, da Bulgária, Diniz fez o segundo teste no meio-campo. Se no primeiro jogo ele tentou Nathan, agora foi a vez de Yago Felipe ser o titular. O treinador, porém, tem um problema para o próximo jogo, pela semifinal da Copa do Brasil: não poderá contar com André, que cumpre suspensão.

- A gente vai substituir. Vai achar melhor opção. Já jogamos sem o André. Contra o Cuiabá, jogamos sem ele e fizemos um primeiro tempo muito bom e um fim de jogo também. Vamos achar o substituto. O elenco tem jogadores qualificados - afirmou Diniz antes de falar sobre a atuação de Yago Felipe:

- (Atuação) Normal. Yago fazia tempo que não jogava, entrava pouco. Gosto muito, tem história aqui, cara adorado por todos. Ele entrou e fez boas movimentações, teve bons momentos, positiva a atuação do Yago - completou.

Uma presença ilustre no Maracanã foi do ex-atacante Fred. O ídolo do Fluminense esteve em um camarote ao lado do presidente Mário Bittencourt, foi ovacionado pela torcida e esteve no vestiário depois do confronto.

- Fred nunca deixou de ser um dos nossos. Esteve no vestiário. Que venha sempre - disse Diniz.