Diego Costa não tem visto de trabalho para voltar à Inglaterra

Diego Costa não joga desde o fim da temporada passada, quando defendeu o Atlético-MG. Foto: Douglas Magno/AFP via Getty Images
Diego Costa não joga desde o fim da temporada passada, quando defendeu o Atlético-MG. Foto: Douglas Magno/AFP via Getty Images

A contratação de Diego Costa, pretendido pelo Wolverhampton, corre risco de não se concretizar. No momento a negociação está em 'stand by' já que o governo britânico rejeitou a permissão de trabalho do hispano-brasileiro.

O 'Brexit' endureceu as medidas para estrangeiros desembarcarem na Premier. Uma permissão de trabalho chamada GBE (Govering Body Endorsement) foi estabelecida e, como entendem da Inglaterra, Diego Costa não acumulou o número necessário de pontos.

Leia também:

O jogador que não voltou a atuar desde que deixou o Atlético-MG no fim da temporada passada, tem passagens por clubes espanhóis como o Celta, Rayo e Atlético de Madrid, entre outros. Já na Inglaterra ele teve uma boa passagem pelo Chelsea entre 2014 e 2017.

Com o 'blues' jogou 89 jogos, marcou 52 gols, distribuiu 18 assistências e foi considerado peça chave na conquista da Premier League e da Copa da Liga em 2014-15.

O Wolverhampton tem o direito de recorrer da decisão e espera-se que o faça nas próximas 48 horas. De fato, Diego Costa estava programado para desembarcar hoje na Inglaterra para fazer um exame médico e avaliar sua condição física.

A 'não-assinatura' momentânea de Diego Costa deixa Bruno Lage com Raúl Jiménez como o único centro avante de ofício. O recém-contratado Sasa Kalajdzic sofreu uma ruptura nos ligamentos do joelho logo após sua chegada e deve ficar um bom tempo fora de combate.

Em sua última passagem pelo Brasil, Diego atuou em 19 jogos, marcando cinco gols e dando uma assistência. Em cinco meses ele ajudou o Galo a conquistar a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro.