Dicas para iniciar e ter sucesso na carreira de streamer de gameplays e reacts

Milhares de jovens sonham com a carreira de streamer (Foto: Istock/Free)


Com o sucesso midiático e financeiro do e-sports e do streaming, muitos jovens deixaram a bola de lado para sonhar com a carreira de streamer. Além de fama e prestígio, ter um canal popular também pode render bastante dinheiro.

Mas, assim como todo produto ou serviço em um livre mercado, não basta apenas transmitir a sua partida ou comentar a partida de terceiros, pois há uma infinidade de outros streamers fazendo isso: é preciso dedicação e uma boa estratégia.

Especialista em marketing digital, o influencer Bruno Moraes abordou o tema e deu dicas importantes para aqueles que pretendem investir na carreira de streaming. Assim como profissionais das redes sociais, é preciso entender alguns pontos.

"Para começar na carreira, como em qualquer outra do universo da criação de conteúdo, é importante entender quem é seu público, com quem você quer se comunicar", aponta, de primeira, o especialista.

"Parece simples, mas é a pergunta inicial para entender sua rota. Uma vez que você sabe com quem se comunica, entra a hora da pesquisa: o que os influenciadores que são consumidos pelo público que quero atingir fazem?", completa.

Uma vez identificado o público-alvo, Bruno Moraes indica a avaliação do conteúdo que será oferecido e como ele deve se encaixar na plataforma escolhida de maneira que expresse a personalidade do streamer e o diferencie dos demais concorrentes.

"A partir do momento que você entende com quem fala, como fala e por que fala, entra a parte da criação. A Twitch, principal rede de streaming, tem uma ferramenta chamada 'gank'. Recomendo ir atrás de 'ganks' maiores (não vai pedir direto pro Casimiro, né? Começa em um que pega ali 100 viewers na média)", sugere.

"O 'gank' fará que, quando aquele streamer desligar sua live, toda sua audiência vá para você. E aí é sua hora de brilhar: mostre bem o que faz, seus pontos fortes e comece a criar sua comunidade fiel", complementa o especialista.

Além disso, ele sugere aproveitar cortes de conteúdos para pescar audiência através de outras plataformas, como Instagram, TikTok, Twitter e até mesmo Pinterest.

Em relação à quantidade e qualidade, Bruno Moraes explica que é importante equilibrar os dois pontos.

"Quando falamos de live, quantidade tem peso relativamente maior do que comparado com outras modalidades de criação de conteúdo, mas só quantidade não te leva a lugar nenhum. Se você já joga o dia todo, liga a câmera e não fala nada, a não ser que você seja um dos melhores jogadores do mundo, poucos terão interesse em te assistir. Em uma visão geral, qualidade sempre será mais importante, mas no caso dos conteúdos ao vivo, a quantidade fica coladinha no segundo lugar", atenta o expert.

"É importante entender como criar algo simples para que se produza rápido, mas ainda com qualidade. Daí surgem os reacts, as gameplays... formatos simples, mas que precisam de um quê a mais para gerar interesse, seja carisma ou um talento absurdo naquele jogo", destaca Bruno Moraes.