Dez Milhas Garoto é vencida por brasileiro e etíope

Corredores da Dez Milhas Garoto cruzam a Terceira Ponte entre Vitória e Vila Velha. (Divulgação)


Giovani dos Santos e Mestawut Trunet foram os campeões da 31ª edição da Dez Milhas Garoto, neste domingo (25). O brasileiro fechou em 48m21s, enquanto que a etíope completou o percurso em 56m45s. Os 16,09km de uma das corridas de rua mais tradicionais do Brasil e a mais importante do Espírito Santo começa na Praia de Camburi, em Vitória, e termina na frente da fábrica da Garoto, em Vila Velha, tendo como grande destaque a Terceira Ponte, que faz a ligação entre os dois municípios.

Giovani comemorou muito a importante conquista. “Sempre ficava em segundo ou terceiro na Dez Milhas Garoto. Desta vez, usei uma estratégia melhor que nas edições anteriores. Preferi segurar e, nos últimos três quilômetros, passei o segundo e, no final, consegui passar a frente e vencer. Agora é continuar trabalhando para as próximas provas e com foco na São Silvestre, onde quero fazer uma preparação especial na altitude e tentar mais um pódio”, declarou o mineiro.

O segundo colocado foi o queniano Vestus Chemjoy, com 48m32s, seguido pelo brasileiro Gilmar Lopes, do Brasil, com 48m58s.

Recorde de inscritos na Dez Milhas Garoto em 2022

A tímida Mestawut foi econômica nas palavras. “Gostei muito e estou contente com minha corrida”, destacou a corredora, que este ano já faturou a Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro.

A vice-campeã foi a também etíope Fantu Gelasa, com 56m48s, seguida da compatriota Yadeny Weltj, com 57m32s. A brasileira Amanda de Oliveira garantiu o pódio com o quarto lugar, com 58m52s. Jonílson Prates e Helen Fante foram os melhores capixabas neste ano.

Melhor brasileira nesta edição, justamente em sua primeira experiência capixaba, Amanda agradeceu todo o apoio. “Estou muito feliz com o resultado. “É uma prova muito bonita e a torcida me apoiou muito. Sei que tenho muito a aprender, mas estamos no caminho certo”, disse.

A 31ª edição da Dez Milhas registrou número recorde de inscrições e reuniu mais de 16 mil atletas entre profissionais e amadores ao longo dos dois dias de evento. No sábado, aconteceram a 19ª edição da Garotada, voltada para crianças e jovens, e a Cachorrida, primeira corrida e caminhada pet do estado do Espírito Santo.

Resultados da Dez Milhas Garoto 2022

Masculino: 1. Giovani dos Santos (Brasil), em 48m21s; 2. Vestus Chemjoy (Quênia), em 48m32s; 3. Gilmar Silvestre Lopes (Brasil), em 48m58s; 4. Asefa Bekele (Etiópia), em 51m05s; e 5. Jonilson Pinto Prates (Brasil), em 51m59s.

Feminino: 1. Mestawut Trunet (Etiópia), em 56m45s; 2. Fantu Gelasa (Etiópia), em 56m48s; 3. Yadeny Weltej (Etiópia), em 57m32s; 4. Amanda de Oliveira (Brasil), em 58m52s; e 5. Priscila Moraes (Brasil), em 1h10m38s.

Campeões de todas as edições

1989 – Delmir Alves dos Santos (RJ), em 50m28s/Nerci Freitas Costa (RJ), em 1h04m19s;
1990 – Severino J. da Silva (SP), em 46m42s/Sônia Márcia Rodrigues (MG),em 56m42s;
1991 – Luís Antônio dos Santos (RJ), em 45m49s/Silvana Pereira (SC), 53m06s;
1992 – Delmir Alves dos Santos (RJ), em 50m95s/Viviany Anderson (MG), em 1h0m48s;
1993 – Luís Antônio dos Santos (RJ), em 47m45s/Silvana Pereira (SC), em 56m48s;
1994 – Tomix Alves da Costa (MG), em 48m25s/Silvana Pereira (SC), em 57m35s;
1995 – Adalberto B. Garcia (SP), em 47m21s/Viviany Anderson (MG), em 56m24s;
1996 – Delmir Alves dos Santos (SP), em 48m04s/Maria de L. da Silva (BA), em 56m18s;
1997 – Ronaldo da Costa (MG), em 47m21s/Risoneide Wanderley (SP), em 56m43s;
1998 – John M. Gwako (Quênia), em 47m19s/Márcia Narloch (RJ), em 55m41s;
1999 – John M. Gwako (Quênia), em 47m23s/Viviany Anderson Oliveira (MG), em 55m41s;
2000 – Joseph Waweru (Quênia), em 47m24s/Márcia Narloch (RJ), em 55m52s;
2002 – Marílson Gomes dos Santos (DF), em 47m41s/Márcia Narloch (RJ), em 55m10s;
2003 – Valdenor Pereira dos Santos (PI), em 48m58s/Márcia Narloch (RJ), em 56m01s;
2004 – Marílson Gomes dos Santos (DF), em 47m53s/Márcia Narloch (RJ), em 56m25s;
2005 – Franck Caldeira (MG), em 48m23s/Márcia Narloch (RJ), em 56m20s;
2006 – Marílson Gomes dos Santos (DF), em 47m39s/Lucélia Peres (MG), em 55m23s;
2007 – Clodoaldo G da Silva (DF), em 48m44s/Edinalva Laureano da Silva (PB), em 55m49s;
2008 – Willian Gomes (MG), em 48m39s/Nancy Jepkosgei Kipron (Quênia), em 56m24s;
2009 – Franck Caldeira (MG), em 47m58s/Meseret Heilu (Etiópia), em 56m05s;
2010 – Marílson Gomes dos Santos (RJ), em 47m45s/Eunice Kirwa (Quênia), em 55m11s;
2011 – Kimutai Kiplimo (Quênia), em 48m05s/Eunice Jepkirui Kirwa(Quênia), em 55m43s;
2012 – Joseph Aperumoi (Quênia), em 47m01s/Rumokol Chepkanan(Quênia), em 54m13s;
2013 – Edwin Kipsang Rotich (Quênia), em 47m00s/Nancy Kipron(Quênia), em 55m16s;
2014 – Leul Gerbresilase Aleme (Etiópia), em 47m18s/Delvine Meringor (Quênia), em 57m08s;
2015 – Edwin Kipsang Rotich (Quênia), em 47m42s/Delvine Meringor (Quênia), em 54m50s;
2016 – Joseph Aperumoi (Quênia), em 47m29s/Consolata Cherotich (Quênia), em 59m49s;
2017 – Belete Tola (Etiópia), em 48m14s/Esther Kakuri (Quênia), em 57m40s;
2018 – Wellington Bezerra da Silva (Brasil), em 48m55s/Esther Kakuri (Quênia), em 57m18s;
2019 – Geofry Kipchumba (Quênia), em 48m18s/Viola Chemos (Uganda), em 59m39s; e
2022 – Giovani dos Santo (Brasil), em 48m21s/Mestawut Trunet (Etiópia), em 56m45s. (Iúri Totti)