Da euforia à revolta: torcida do Vasco se prepara para o acesso, mas sofre decepção


Com a derrota do Vasco para o Sampaio Corrêa, a torcida cruz-maltina saiu revoltada de São Januário. Entre apoio e vaias, os vascaínos viveram um mix de sentimentos numa noite para apagar da memória.

Antes da bola rolar, o clima era de festa nos arredores do estádio. O ambiente era amistoso. Diversas famílias com crianças e grupos de amigos estavam confiantes de que o Gigante estaria de volta na Série A do Brasileirão em 2023, na noite desta quinta-feira.

Alguns torcedores optaram por entrar cedo e tranquilamente na Colina História para garantir um bom lugar. Já outros curtiram o tradicional pré-jogo do "SamBarreira" bebendo uma gelada. Era a noite dos sonhos para mais de 20 mil cruz-maltinos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Torcida Vasco
Torcida Vasco

Torcedor "falta" o aniversário de casamento para comparecer em jogo do Vasco (Matheus Guimarães/LANCE!)

Uma grande festa estava sendo feita nas arquibancadas. Os torcedores estavam ansiosos para por um fim na agonia, que permanece desde a temporada de 2021. Inclusive, teve até quem trocou o aniversário de casamento pelo Vasco. Foi o caso do vascaíno André Rodrigues, que afirmou que a esposa sabia.

- Ela já sabe que eu sou Vasco. Eu faço parte da história do Vasco. O Vasco tem um compromisso com a vitória, mas acima de tudo comprometimento com a história. Ela sabe disso. Então, eu estar aqui hoje é normal - disse André, que teve o plano frustrado de comemorar em triplo nesta sexta-feira:

- Vou comemorar o acesso do Vasco, aniversário de casamento e amanhã é aniversário da nossa filha Maria Flor.

Torcida Vasco
Torcida Vasco

Pai e filho ansiosos para ver o Vasco de volta na Série A (Matheus Guimarães/LANCE!)

A bola rolou. Logo aos três minutos, Anderson Conceição abriu o placar. E o povão cantou é gol, é gol. Porém, aos 17 do primeiro tempo, o Sampaio Corrêa empatou e jogou um balde de água fria na massa cruz-maltina.

A torcida esfriou e ficou estática por alguns minutos. Os cantos eufóricos foram substituídos por cantos tímidos e somente no final do primeiro tempo aumentaram o som. A etapa inicial terminou empatada em 1 a 1.

O segundo tempo começou e, como de costume, os vascaínos voltaram a carregar a equipe. Aos berros, as músicas eram cantadas em vão. E isso, porque o Vasco estava apático e não correspondia em campo. Poucas foram as chances que arrancaram o "uh!" da galera.

Até que aos 23 minutos da etapa final, o Sampaio Corrêa virou a partida. O apoio virou aflição. A euforia virou frustração. A cada toque na bola do goleiro Thiago Rodrigues, ele era vaiado.

A apreensão tomou conta de São Januário. A massa vascaína foi vendo o time não ter reação e pouco criar. Mas mais uma vez, os minutos finais foram reservados para testar os corações cruz-maltinos.

Quando o jogo estava prestes a acabar o coro de "o Vasco é o time da virada, o Vasco é o time do amor" foi mais eficaz do os jogadores em campo. Nos acréscimos, Andrey Santos deixou tudo igual para deixar sua imensa torcida bem feliz.

Torcida Vasco
Torcida Vasco

Torcedora do Vasco chora com o gol de empate nos acréscimos (Foto: Matheus Guimarães/LANCE!)

A alegria durou pouco. Em seguida ao gol do camisa 8, o Sampaio virou o duelo novamente e botou água no chopp dos cruz-maltinos. Os visitantes ganharam por 3 a 2. O Vasco não joga mais em São Januário nesta temporada. Com isso, se despediu da sua casa de maneira amarga e deixou mais de 20 mil vascaínos revoltados.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.