Corrigir erros do passado, planejar o futuro e comemorar: relembre o primeiro ano de Ronaldo no Cruzeiro

O time mineiro viveu um choque de gestão sob a batuta de Ronaldo-(Staff Images / Cruzeiro)


O Cruzeiro está de volta à Série A do Campeonato Brasileiro. De maneira fenomenal, a Raposa conseguiu superar seus problemas, bateu o recorde de rodadas de antecedência em clubes que sobem para a elite do futebol brasileiro e, ao vencer o Vasco, por 3 a 0, no Mineirão, na noite dessa quarta-feira (21), conseguiu levar ao delírio os cruzeirenses que comemoraram. Mas não foi fácil este primeiro ano de caminhada e o L! vai relembrar parte dessa história.

O nome de Ronaldo surgiu na vida do Cruzeiro ainda no primeiro mês após a aprovação da Sociedade Anônima do Futebol (SAF). Apesar dos graves problemas, tanto financeiros quanto institucionais, a Raposa recebeu o nome do Fenômeno que foi apontado pelos torcedores como a "melhor coisa que poderia ter acontecido".

Ainda em 2021, o processo de compra iniciou. Ele só foi concluído, porém, quatro meses depois, devido a burocracia exigida para a gigantesca operação. Além disso, Ronaldo precisou enfrentar uma série de entraves, como a aquisição dos Centros de Treinamento e os questionamentos sobre a promessa de investimento inicial.

O ex-jogador bateu o pé, buscou o que era interessante na observação dele mesmo, afinal, estava assumindo uma dívida de aproximadamente R$ 1 bilhão - uma das maiores do futebol brasileiro. Porém, mesmo antes de concluir a transação, algo que aconteceu em abril, ele iniciou o planejamento.

Isso não foi fácil. Afinal, como seu nome surgiu de maneira meteórica, era preciso desfazer alguns "combinados" que a antiga gestão tinha feito. Por exemplo, o diretor de futebol da época seria Alexandre Mattos. O cartola, todavia, recebeu o contato e foi dispensado das atividades.

Em seguida, a equipe de Ronaldo precisou ajustar a questão do treinador. Na época, Vanderlei Luxemburgo era o técnico e essa troca aparentemente não aconteceria. Mas aconteceu: a nova diretoria demitiu o técnico e buscou Paulo Pezzolano, de estilo arrojado, jovem e praticamente desconhecido no futebol brasileiro.

Mas a pior situação ainda estava por vir: o contrato de Fábio estava no fim e era preciso iniciar o processo de renovação. Um dos nomes mais fortes do clube nos últimos anos, o goleiro tinha que resolver sua situação com a Raposa, mas não teve seu vínculo renovado. A torcida protestou na porta do CT: "Ronaldo, vem dar explicação".

Em entrevista, Fenômeno agradeceu os serviços prestados pelo arqueiro, mas se despediu.

-Fábio vai ser sempre um ídolo para o Cruzeiro e torcida. No cenário atual, fizemos um esforço muito grande para fazer uma proposta decente para ele. Infelizmente, durante a negociação, houve uma negativa por parte dele, o que também nos pegou de surpresa. Entendemos que todo o sacrifício foi feito- reconheceu Ronaldo, na época.

E, após esses problemas iniciais, o trabalho começou a fluir. Com boa gestão, sempre com a prática de manter as contas em dia, o Cruzeiro conseguiu o primeiro objetivo com a gestão de Ronaldo: o acesso à Série A. Agora, segundo o próprio dono do time, é preciso se manter pois financeiramente o clube precisa melhorar e nada melhor do que estar na elite para isso acontecer. E, com essa resposta, ele prometeu um time eficiente para 2023.