Corinthians bate recorde de público, goleia o Internacional e é tetracampeão brasileiro feminino

Autora do quarto gol das Brabas, Jheniffer comemora com o técnico Arthur Elias (Foto: Reprodução/Instagram)


Houve quem dissesse que o time feminino do Corinthians não era mais o mesmo, após as Brabas terminarem a primeira fase do Brasileirão da categoria na quarta colocação. Mas time com casa pesada cresce no momento certo, e a corintiana pesa toneladas.

+ Neymar vai subindo: saiba os maiores artilheiros história da Champions League

Na tarde deste sábado (24), as meninas corintianas dominaram praticamente todo o jogo de volta da final do Brasileirão Feminino e bateram o Internacional por 4 a 1, em uma Neo Química Arena que recebeu o melhor público em um jogo de futebol feminino no Brasil.

Foram 41.070 pessoas que acompanharam o triunfo corintiano, superando os 36.330 que estiveram no Gigante do Beira Rio, na semana passada, no confronto de ida.

A vitória das Brabas ainda teve requintes de emoção, já que elas saíram perdendo, com gol marcado por Sorriso, para o Inter. Mas a virada corintiana veio ainda no primeiro tempo, com gols de Jaqueline e Diany. Logo no primeiro lance da etapa final, Vic Albuquerque anotou o terceiro e carimbou o título corintiano.

+ Confira a tabela do Brasileirão Feminino

FESTA CORINTIANA

A torcida do Corinthians prometeu uma festa bonita para apoiar as Brabas na decisão do Brasileiro Feminino e cumpriu. Além de registrar o recorde de público em um jogo entre times femininos na história da categoria no Brasil, foi feito um mosaico no setor leste da Neo Química Arena com os dizeres 'Para cima Brabas'.

CORINTHIANS ABRE O PLACAR NO INÍCIO, MAS GOL NÃO VALE

Logo aos dois minutos de jogo, o time corintiano abriu o placar com Gabi Portilho, que aproveitou um bom cruzamento de Jaqueline, pelo lado direito de ataque. Porém, o lance foi anulado após consulta à arbitragem. O VAR sinalizou uma falta cometida pela Diany na origem da jogada. A arbitragem concordou com a decisão. Mesmo com o gol anulado, as meninas do Timão foram para cima e criaram grandes chances. A mais próxima foi uma bola na trave colocada pela atacante Adriana, escorando uma cobrança de escanteio batida no segundo pau, mas acertando a trave.

GURIAS ABREM O PLACAR

Mesmo com a blitz corintiana, foram as meninas do Internacional quem saíram na frente, aos 14 minutos. A jogada começou com um erro da goleira Lelê, que não conseguiu dominar uma bola recuada pela Yasmim. Na sequência, a arqueira corintiana deu um tapa para afastar a cobrança de escanteio fechado, mas a bola voltou e sobrou para Sorriso, livre de marcação, abrir o placar para as coloradas.

CORINTHIANS RESPONDE E EMPATA

As Brabas chegaram ao empate menos de 10 minutos depois, mas poderia ter chegado mais cedo, quando a bola sobrou para Tamires com liberdade na entrada da área, pelo lado esquerdo. A lateral encheu o pé e parou na goleira Mayara. Mas foi aos 22 minutos que as corintianas chegaram ao empate, com Jaqueline, que aproveitou um cruzamento de Yasmim na medida. Depois disso, o Corinthians voltou a mandar no jogo e criou as grandes chances para ir ao vestiário na frente, a principal dessas oportunidades aconteceu com Tamires, que fez fila, mas, novamente parou na goleira Mayara.

VIRADA DAS BRABAS

Quando parecia que o primeiro tempo terminaria empatado, as Brabas conseguiram a virada já nos acréscimos em uma jogada ensaiada na cobrança de escanteio pela direita. Tamires cobrou curto, Adriana cruzou e Diany escorou para colocar a bola no fundo da rede.

TIMÃO COM TUDO NO SEGUNDO TEMPO

A etapa final não poderia começar melhor para o time corintiano. Logo aos dois minutos, as Brabas ampliaram o marcador com Vic Albuquerque. Mas pode dar metade do gol para a Gabi Portilho, que arrancou para o comando de ataque e teve sangue frio para segurar a bola e esperar a chegada da camisa 17, que chegou de trás e finalizou no canto direito da goleira Mayara. E com o terceiro gol, as Brabas somente cadenciaram o resultado até o fim do jogo. Teve até chances para ampliar, sofrendo apenas um susto, quando aos 40 minutos do segundo tempo, Lelê ficou cara a cara com a goleira alvinegra e mandou por cima do gol.

GOLPE DE MISERCÓRDIA

E no último lance da partida, o Corinthians definiu não só o título, como também uma goleada. Com requintes de crueldade e aquela lei que não falha, Jheniffer, ex-jogadora do Inter e que já havia empatado para as Brabas o jogo de ida, em Porto Alegre, aproveitou o cruzamento pelo direita, após uma boa trama entre Adriana e Jaque, e colocou para o fundo da rede.

CORINTHIANS 4 X 1 INTERNACIONAL
CAMPEONATO BRASILEIRO FEMININO - FINAL - JOGO DE VOLTA


Local:
Neo Química Arena. São Paulo (SP)
Data e hora: 24 de setembro de 2022, às 14h (horário de Brasília)
Árbitro: Charly Wendy Straub Deretti (FIFA/SC)
Assistentes: Leila Naiara Moreira da Cruz (FIFA/DF) e Fernada Nândrea Gomes Antunes (FIFA/MG)
Árbitro de vídeo: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (VAR-FIFA/MG)
Público/renda:
Cartões amarelos: Jaque, Diany e Vic Albuquerque (Corinthians); Sorriso e Capelinha (Internacional)
Cartões vermelhos:

GOLS: 0-1 Sorriso (14'/1T); 1-1 Jaqueline (22'/1T); 2-1 Diany (46'/1T); 3-1 Vic Albuquerque (2'/2T); 4-1 Jheniffer (47'/2T)

CORINTHIANS
Lelê; Diany, Andressa (Tarciane, intervalo), Yasmim e Tamires; Gabi Zanotti (Gabi Morais, 30'/2T), Vic Albuquerque, Jaqueline e Gabi Portilho (Juliete, 40'/2T); Adriana e Jheniffer. Técnico: Arthur Elias.

INTERNACIONAL
Mayara; Capelinha (Tãmara, 26'/2T), Bruna Benites, Sorriso (Hass, 8'/2T) e Eskerdinha (Priscila, 24'/2T); Juliana, Duda, Maiara Lisboa (Bia Gomes, 8'/2T) e Fabi Simões; Millene e Lelê. Técnico: Maurício Salgado.