Congresso das Filipinas concede honraria nacional a campeã juvenil do US Open

USTA


As Filipinas seguem em sua semana de demonstração de carinho e orgulho da promessa local Alexandra Eala, que deu ao país o primeiro título em simples de um torneio do Grand Slam ao sagra-se campeã do US Open juvenil.

Campeã de duplas no Australian Open 2020 e em Roland Garros 2021, Eala dedicou boa parte da temporada 2022 para se adaptar ao circuito WTA, onde conquistou o título do ITF de Chiang Rai, na Tailândia, foi vice em Madri e fez outras duas semifinais, resultados que a levaram ao atual posto de 288ª da WTA.

No retorno ao circuito juvenil, Eala conquistou o maior título do tênis da história do seu país e por isso tem sido celebrada nos maiores outdoors eletrônicos não apenas da metrópole Manilla, capital do país, como em todas as grandes e médias cidades do país, reporta a mídia local.

De acordo com o Philstar, o deputado José Francisco Benitez propôs a câmara local que a jovem tenista receba a 'Medalha de Distinção do Congresso' - maior honraria concedida pela casa a cidadãos filipinos.

De acordo com o Inquier, o Congresso decidiu por conceder a honraria à jovem atleta que é filha da ex-nadadora Rizza Maniego, campeã continental nos 100 metros costas e do ex-jogador de basquete Noli Eala. “A façanha de Alex ressalta o tipo de alturas vertiginosas que o país alcançou no tênis e seu desempenho exemplar, que é um dos maiores da história do esporte filipino, merece o maior elogio e distinção pela honra e glória que trouxe ao país”, declara o Congresso ao divulgar a decisão de conceder à jovem a honraria.


When you become the first player from the Philippines to lift a Grand Slam junior singles trophy... 🇵🇭

Mabuhay ka, Alex Eala! 😚🏆 pic.twitter.com/kf3HpvNyGi
— wta (@WTA) September 13, 2022