Comitê organizador da Copa do Mundo no Qatar se pronuncia sobre protesto da Dinamarca

Emissora renovou agenda de programas para cobrir Copa do Mundo (Foto: Divulgação/ SC Qatar 2022)


O Comitê Supremo para entrega e legado (SC) da Copa do Mundo de 2022 divulgou um comunicado em resposta ao protesto da seleção da Dinamarca contra as violações de direitos humanos no país, em ação promovida pela fornecedora de material esportivo "Hummel".

A mensagem trazida pelos uniformes da Dinamarca remete um forte protesto contra as constantes violações de direitos humanos no país, que proíbe a homossexualidade, por exemplo. Confira o comunicado do SC.

- Desde que conquistou o direito de sediar a Copa do Mundo da FIFA™️, o SC trabalhou cuidadosamente ao lado do governo do Qatar para garantir que o torneio ofereça um legado social duradouro -

+ Veja a tabela da Copa do Mundo de 2022

- Nosso compromisso com esse legado contribuiu para reformas significativas no sistema trabalhista, promulgando leis que protegem os direitos dos trabalhadores e garantem melhores condições de vida para eles -

- Através da nossa colaboração com o Grupo de Trabalho da UEFA e várias outras plataformas lideradas pela FIFA e outros grupos independentes, estabelecemos um diálogo robusto e transparente com a DBU (Federação Dinamarquesa de Futebol). Esse diálogo resultou em uma melhor compreensão do progresso alcançado, dos desafios enfrentados e do legado que entregaremos além de 2022 -

- Por essa razão, contestamos a afirmação da Hummel de que este torneio custou a vida de milhares de pessoas. Além disso, rejeitamos de todo o coração a banalização de nosso compromisso genuíno de proteger a saúde e a segurança dos 30.000 trabalhadores que construíram estádios da Copa do Mundo da FIFA™️ e outros projetos de torneios. Esse mesmo compromisso agora se estende a 150.000 trabalhadores em vários serviços de torneios e 40.000 trabalhadores no setor de hospitalidade -

- O ônus deve sempre recair sobre os países para fazer mais para proteger os direitos dos povos em todo o mundo, inclusive na Dinamarca. O trabalho do SC é reconhecido por inúmeras entidades da comunidade internacional de direitos humanos como um modelo que acelerou o progresso e melhorou vidas. As reformas do Qatar são reconhecidas pela OIT e pela CSI como referência na região. Como todo país, o progresso nessas questões é uma jornada sem linha de chegada, e o Qatar está comprometido com essa jornada -

- Pedimos à DBU para transmitir com precisão o resultado de sua extensa comunicação e trabalho com o SC, e garantir que isso seja comunicado com precisão a seus parceiros da Hummel -