Comissão técnica da Seleção repudia ato racista durante amistoso: 'No futebol não vale tudo'

Comissão técnica da Seleção Brasileira ficou revoltada com ato racista em Paris (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)


O Brasil goleou a Tunísia por 5 a 1 e empolgou ainda mais a torcida rumo à disputa pelo hexa na Copa do Mundo do Qatar. No entanto, a partida no Parque dos Príncipes, em Paris, registrou um episódio de racismo por parte de torcedores da seleção africana, que atiraram uma banana no campo, o que revoltou a comissão técnica brasileira.

+ Veja calendário da Seleção Brasileira até o final da Copa do Mundo

+ Veja a tabela da Copa e simule os resultados

Durante a comemoração do segundo gol da Seleção, Richarlison e os demais jogadores foram hostilizados e receberam uma "chuva" de objetos atirados no gramados, entre eles uma banana. Algo que não é a primeira vez que acontece em estádios europeus recentemente.

Em entrevista coletiva após o amistoso, Tite, Juninho Paulista e César Sampaio falaram da situação lamentável e repudiaram a atitude no estádio parisiense. Os três pediram punição aos infratores e maior ação dos responsáveis para que atos como esse sejam evitados.

- Fiz questão de vir para registrar que a CBF já soltou um comunicado repudiando esse ato. Venho para reforçar. A CBF repudia veementemente qualquer atitude de racismo. Hoje vimos mais um. Lamentável. Acho que está na hora de parar, dos órgãos competentes encontrarem uma maneira de punir esses infratores. Sabemos e já colocamos as dificuldades de identificar, mas temos que buscar. Esses torcedores estão no meio de outros e se perdem nesses atos. Não só no esporte, mas para a vida. Está acontecendo bastante nos estádios e a pessoa não está sendo punida. Que esses órgãos estudem uma maneira de identificar esses vândalos, esses torcedores, esses racistas. Para que a gente possa bani-los do futebol e da vida - disse Juninho, coordenador da Seleção.

- No futebol não vale tudo. Estádio não é para fazer o que se quer. O processo de educação e punição tem que ser também dentro de estádio, também com torcida. Ninguém tem exposição pública a tomar qualquer que seja o xingamento ou situação. Que os órgãos responsáveis tomem a devida providência. É educação daquilo que são os jovens, nossos filhos, meus netos. É a de punição a quem faz as coisas erradas - reforçou Tite, técnico do Brasil.

- Mesmo sendo redundante, compartilho da mesma opinião. Infelizmente a gente chega nesse ponto onde precisamos buscar a lei depois de tantas ações tentando fazer com que o ser humano tivesse uma reflexão. Isso não foi possível. Concordo com o Juninho e o Tite. Que os infratores sejam punidos. Passou do ponto já. É um desrespeito - completou o auxiliar da Seleção.

O Brasil encerrou sua série de amistosos antes da Copa do Mundo e agora a próxima data importante é justamente a convocação final para o torneio, que acontece no dia 7 de novembro. Depois disso, os jogadores se reúnem em Turim, na Itália, para cinco dias de preparação antes de viajar ao Qatar. A estreia da Seleção Brasileira no Mundial será no dia 24 de novembro, dia da Sérvia.