Com recorde de público, Bahia vence o Vasco de virada em confronto direto do G4 da Série B do Brasileirão

Vasco enfrenta o Guarani nesta quarta-feira (Foto: Daniel Ramalho/Vasco)


Com recorde de público, o Bahia fez o dever de casa e bateu o Vasco por 2 a 1, de virada, na Arena Fonte Nova. Ainda no primeiro tempo, Ricardo Goulart marcou contra, enquanto Quintero, também contra, empatou. O camisa 16 voltou a balançar a rede, desta vez a favor, e marcou o gol da vitória. Com o resultado, o Tricolor disparou na vice-liderança da Série B, com 47 pontos, e o Cruz-Maltino segue em quarto, com 42.

Na próxima rodada, o Gigante da Colina volta a campo na quarta-feira, às 19h, para medir forças com o Guarani, em São Januário. O Tricolor baiano, por sua vez, também joga na quarta, porém às 21h30, contra outra equipe de Campinas, a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli.

+ Confira e simule a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

ERROS DEFENSIVOS

Atuando em casa, o Bahia foi para cima do adversário desde o início da partida e logo levou perigo à meta de Thiago Rodrigues. Matheus Ribeiro errou, e Lucas Mugni aproveitou e rolou a bola para Jacaré emendar pela esquerda. O arqueiro vascaíno espalmou para fora e afastou o perigo. Em outra chegada, Davó recebeu o lançamento na área, mas finalizou para fora.

ANDOU NA PRANCHA
Apesar do Bahia ter comandado as ações no início, foi o Vasco quem abriu o placar. Nene cobrou escanteio na cabeça de Bruno Tubarão. O atacante dividiu no alto com Danilo Fernandes, cabeceou, mas a bola tocou no peito de Ricardo Goulart e estufou a rede. Mesmo a bola tendo tocado no adversário, Bruno fez sua comemoração com referência ao Tubarão.

VACILO COLOMBIANO
Em dois lances, o clima esquentou entre os jogadores, e o árbitro distribuiu amarelos. Matheus Bahia fez boa tabela com Daniel pela esquerda e cruzou rasteiro. Quintero tentou fazer o corte, mas no carrinho colocou a bola contra o próprio patrimônio deixando tudo igual.

GOULART POR CIMA
Com o gol de empate, o Bahia voltou a ter mais força ofensiva e, por pouco, quase virou. Marcinho cruzou pela direita e Daniel cabeceou por cima. No fim do primeiro tempo, Lucas Mugni fez a cobrança de escanteio. Nene e o sistema defensivo vascaíno não prestaram atenção e deixaram Ricardo Goulart sozinho para cabecear a estufar a rede.

AVALANCHE TRICOLOR
Na volta do intervalo, os donos da casa passaram a dominar a partida com facilidade, enquanto o Cruz-Maltino apresentava muitos erros na saída de bola. Marcinho cobrou escanteio curto para Daniel fazer o corta-luz e Jacaré emendar, de longe, por cima do gol. Na sequência, Quintero errou mais uma vez, e Davó invadiu a área e chutou em cima de Thiago Rodrigues.

CHANCES SEM DIREÇÃO

Depois da cobrança de escanteio de Nene, Andrey acertou um belo chute e a bola passou perto da meta de Danilo Fernandes. Em seguida, o Vasco voltou a assustar, desta vez, com Anderson Conceição, de cabeça. A bola tirou tinta da trave.

O Bahia respondeu quando Jacaré achou Luiz Henrique na área, que soltou a bomba à queima-roupa. No fim, os visitantes tiveram a chance de empatar, mas Eguinaldo tentou finalizar e acabou atrapalhando Gabriel Pec.

SEGUE O TABU
Com o resultado, o Esquadrão de Aço conseguiu manter o tabu de dez anos sem perder para os cariocas, em Salvador. O tabu dentro da Arena Fonte Nova é ainda maior, desde 1987.

FICHA TÉCNICA

BAHIA 2x1 VASCO

Data e hora: 28/08/2022, domingo, às 16h
Local: Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis (Fifa-SP) e Alex Ang Ribeiro (SP)
Quarto Árbitro: Moisés Ferreira Simão (BA)
VAR: Pablo Ramon Gonçalves Pinheiro (RN)
Público pagante: 48.183
Público total: 48.660
Renda: R$ 1.539.677,00
Cartões Amarelos: Ignácio (BAH) / Quintero, Alex Teixeira e Yuri Lara (VAS)
Cartões Vermelho: -

Gols: Ricardo Goulart (contra) (18'/1T) (0-1) / Quintero (contra) (39'/1T) (1-1) / Ricardo Goulart (45'/1T) (2-1)

BAHIA (Técnico: Enderson Moreira)
Danilo Fernandes, Marcinho, Ignácio, Luiz Otávio (Gabriel Xavier 8'/1T) e Matheus Bahia (Luiz Henrique 17'/2T); Patrick de Lucca, Lucas Mugni (Rezende 19'/2T), Daniel, Ricardo Goulart (Copete 19'/2T); Jacaré e Davó (Ytalo 32'/2T).

VASCO (Técnico: Emílio Faro)
Thiago Rodrigues, Matheus Ribeiro, Quintero, Anderson Conceição, Edimar, Yuri Lara (Marlon Gomes 37'/2T), Andrey Santos, Nenê (Palacios 38'/2T), Paulo Victor (Gabriel Pec 10'/2T), Bruno Tubarão (Figueiredo 10'/2T) e Alex Teixeira (Eguinaldo