Com não de Bielsa, Santos efetiva Orlando Ribeiro como treinador

Orlando Ribeiro vai comandar a última semana de treinos no Santos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)


O Santos decidiu manter Orlando Ribeiro no comando técnico da equipe após Marcelo Bielsa recusar o convite para comandar o clube. À princípio, o treinador de 55 anos fica até o final da temporada, quando o Peixe espera trazer um comandante com mais bagagem.

No comando da equipe desde o dia 12 de setembro, Orlando Ribeiro assumiu o lugar deixado pelo técnico Lisca, hoje no Avaí. Quando subiu ao profissional o treinador ganhou duas missões: vencer o líder do campeonato, o Palmeiras, e o finalista da Copa Libertadores, o Athletico.

Mesmo com a derrota clássico, o time ganhou elogios. Contra o clube paranaense, o time venceu e colocou fim em um longo jejum sem vitórias, sendo três derrotas - contra Goiás, Ceará e Palmeiras. Com a vitória diante do Athletico, o Peixe subiu para a nona colocação na tabela, com 37 pontos ganhos.

O trabalho vem agradando aos atletas. A forma com que Orlando Ribeiro lida com as situações do dia a dia é a maior “vantagem” do treinador em relação a Lisca. Calmo, Ribeiro vem passando confiança aos jogadores e, principalmente, tratando as situações rotineiras sem grande alarde.

O currículo de Orlando Ribeiro no futebol é longo. Seu trabalho mais marcante foi nas categorias de base do São Paulo, clube no qual esteve por 11 anos com passagens pelo comando técnico das categorias Sub-15, Sub-17 e Sub-20.

Pelo Sub-20 do São Paulo, Orlando Ribeiro foi campeão da Copinha 2019, inclusive comandou o meia Ed Carlos atualmente no Santos. Além do vice-campeonato da Copa Ipiranga RS em 2018, conquistou a Super Copa e a Copa do Brasil no mesmo ano. No Sub-17 conquistou a FAM Cup em 2018, Copa Belo Horizonte em 2017, Campeonato Paulista 2016 e Copa Belo Horizonte também em 2016, além do Campeonato Paulista de 2015.

Depois de onze anos no São Paulo, o treinador passou os últimos sete meses do ano passado no Sub-17 do Palmeiras. No rival, conquistou a FAM Cup, foi vice-campeão do Paulista e ficou em terceiro na Copa do Brasil. Foram 34 jogos com 27 vitórias, 3 empates e 4 derrotas.

No Peixe, antes de assumir o profissional, o treinador estava no comando do Sub-20 desde o início do ano. Pela categoria somou 29 jogos, com 20 vitórias, 2 empates e 7 derrotas. Foram 76 gols marcados e apenas 28 sofridos.