Com derrota na final, São Paulo encerrará temporada sem títulos e com dúvida para o futuro


Alguns rumos do São Paulo devem mudar a partir de agora. Após ser derrotado por 2 a 0 pelo Independiente Del Valle na final da Copa Sul-Americana, a equipe deverá se despedir de 2022 sem cumprir nenhuma meta relacionada a ganhar títulos - que por grande parte da temporada, foram vistas como as grandes prioridades para Rogério Ceni.

> Relembre todas as derrotas do São Paulo em finais continentais

> Veja tabela da Copa Sul-Americana e relembre retrospecto

Neste ano, a equipe foi longe em três competições. No Campeonato Paulista, chegou até a final. No primeiro jogo, disputado em casa, venceu por 3 a 1. Porém, não conseguiu segurar o resultado contra o Palmeiras no Allianz Parque, perdendo a oportunidade de erguer o título ao ser derrotado por 4 a 0.

Na Copa do Brasil, Rogério Ceni já havia priorizado a busca do título inédito. Sendo a equipe com mais jogos - uma vez que enfrentou desde as primeiras fases - não conseguiu se livrar das amarras do Flamengo na semifinal. No jogo de ida, foi derrotado em casa por 3 a 1, mesmo apresentando um desempenho superior. No Maracanã, deu o adeus final. Com um gol de Arrascaeta, perdeu no duelo de volta por 1 a 0.

Agora, a Copa Sul-Americana havia se tornado a principal prioridade da temporada. Em um determinado momento do ano, Ceni teve que lidar com três torneios ao mesmo tempo: além do continental, a Copa do Brasil e o Campeonato Brasileiro.

Destes, o Brasileirão foi deixado de lado em alguns momentos, onde em certas rodadas, a equipe chegou até a ficar com uma diferença de cinco pontos de times localizados na zona de rebaixamento.

Sem o continental e sem a Copa do Brasil, o São Paulo não tem mais chances de vencer nem o Brasileiro. Com 37 pontos, está há uma boa distância dos primeiros colocados na tabela da competição nacional. O Palmeiras, por exemplo, segue na liderança com 60.

Além disso, há uma grande incerteza que paira sobre o Tricolor: qual será o futuro de Rogério Ceni?

Em entrevistas dadas antes do confronto com o Independiente Del Valle, o técnico do São Paulo chegou a ser questionado diversas vezes sobre o que aconteceria caso a equipe fosse eliminada da competição - que era vista como a maior meta deste ano. E em praticamente todas as ocasiões, a resposta foi parecida.

- Eu preciso ser campeão para continuar. Por mim, não pelo São Paulo. Sei do carinho que me tratam aqui, mas nós somos movidos a conquistas. Nós vivemos de conquistas. Só assim se marca na história. Eu preciso, os atletas precisam, e o clube precisa dessa vitória - disse em setembro, após a vitória do Tricolor contra o Ceará pelo Brasileiro.

Com a derrota para o Del Valle, a incerteza paira ainda mais. Durante a coletiva de imprensa pós-jogo, com um semblante visivelmente abalado, o treinador evitou responder sobre o futuro e afirmou que 'vai tratar do assunto com calma'.

– Hoje era um dia muito importante na história do clube, onde a gente podia ter mudado essa década de luta, mas de sofrimento. Lamentamos o torcedor que veio com muitas dificuldades, compareceu em um número muito legal, cantou, incentivou, e não sai aqui com título. Vão voltar sem o título, isso que mais dói. Gastaram, sofreram e não viu o São Paulo ser campeão. São coisas que vou pensar nos próximos dias. Tem dois jogos, mas vamos analisar com calma - disse.

Após a partida, Ceni deixou os gramados do estádio Mario Alberto Kempes sem pegar a medalha de vice-campeão. De acordo com suas palavras, não havia motivo de comemoração para o São Paulo.

- Eu achei que demoraria bastante aquela situação, mas todos atletas estavam em campo, eu resolvi descer mais cedo. Acho que está certo comemorar quem vence, fazer parte da festa aqueles que venceram. Importante para o Del Valle, triste para nós. Não havia motivo de comemoração - destacou.

De mãos vazias, o São Paulo já estará em solos brasileiros neste domingo (2). O foco agora é buscar se reerguer no Campeonato Brasileiro, a fim de tentar - pelo menos - garantir uma vaga na Copa Libertadores no próximo ano.