Com defesa sólida, Lisca tem desafio de melhorar ataque do Santos

Lisca foi vaiado pelos torcedores no último jogo do Santos (Foto: Ivan Storti / Santos)


O técnico Lisca possui seis jogos no comando do Santos e, desde sua chegada, os números dos sistema defensivo, que já eram bons, melhoraram. Com a defesa mais sólida, o treinador agora tem o desafio de melhorar o ataque do Peixe, que tem números piores no período.

Na Era Lisca, o Santos é a quarta melhor defesa da competição, com quatro gols sofridos, atrás de Fortaleza (0 GC), Flamengo e América-MG (3GC) e empatado com Palmeiras, Corinthians e Cuiabá. No Brasileirão, o Santos de Lisca tem uma média de 0,66 gol sofrido por jogo. Antes, tinha uma média de 0,88, com 16 sofridos em 18 jogos.

No entanto, no mesmo período a equipe tem o sexto pior ataque, com cinco gols marcados, apenas na frente de Cuiabá (2GP) Ceará e Juventude (3GP), Avaí e Red Bull Bragantino (4GP) e empatado com Athletico-PR, Atlético-MG, Corinthians, Atlético-GO, Coritiba e Botafogo (5GP). A média ofensiva também caiu de 1,22 gol marcado por jogo para 0,83. Nos outros 18 jogos balançou as redes 22 vezes.

Dos seis jogos sob o comando de Lisca, o Peixe marcou gol em apenas metade. Como mandante venceu o clássico contra o São Paulo (1 x 0) e empatou contra o Fluminense (2 x 2). Já fora, venceu o Coritiba nos acréscimos (2 x 1), empatou sem gols com Fortaleza e Cuiabá e perdeu para o América-MG.