Com Antony confirmado no United, São Paulo se prepara para quitar dívidas com o elenco


À espera de receber R$ 100 milhões pela venda de Antony, do Ajax, para o Manchester United, o São Paulo se prepara para quitar os cerca de R$ 30 milhões em dívidas que possui com o atual elenco. A informação foi apurada pelo LANCE! com membros da cúpula do clube.

+ Confira como estão as negociações para renovações de contratos do elenco do São Paulo para a próxima temporada

O montante engloba desde os quatro meses de direito de imagem atrasados até débitos antigos, como premiações pelo título do Campeonato Paulista de 2021 e bônus pelas classificações às semifinais da Copa do Brasil e Sul-Americana.

Conforme revelou o 'UOL', há clima de insatisfação interna, pois o elenco e parte da comissão técnica acreditavam que os direitos de imagem seriam pagos com a venda de Gabriel Sara ao Norwich por mais de R$ 60 milhões, em meados do mês passado, o que não aconteceu. Antes da derrota por 3 a 1 para o Flamengo, na ida da semifinal da Copa do Brasil, na semana passada, no Morumbi, uma pequena parte foi paga como forma de incentivar o grupo.

A reportagem apurou que a venda de Antony ao United foi tema de uma reunião na manhã desta terça entre diretores e a cúpula do futebol tricolor, capitaneada pelo gerente Muricy Ramalho, durante a reapresentação do elenco no CT da Barra Funda. Na pauta, a definição de uma data para a bolada recebida pelo São Paulo ser repassada aos atletas.

Conforme o L! revelou, Muricy foi um dos maiores críticos à contratação de reforços nessa janela de transferências, já que o clube possuía débitos com os jogadores. Até por isso, ele foi um dos poucos a serem informados diariamente pelo presidente Julio Casares dos passos dados para as vindas de Galoppo, Bustos e Ferraresi.

Os dirigentes estão desde a noite de segunda em contato com o Ajax para saber quando será realizado o pagamento de Antony. O desejo interno é que o dinheiro seja repassado aos atletas até horas antes do primeiro duelo com o Atlético-GO, válido pela semifinal Sul-Americana.

O clube inglês pagará 95 milhões de euros (aproximadamente R$ 483,3 milhões) mais 5 milhões de euros (por volta de R$25,4 milhões) em bônus que dependem de metas estipuladas por contrato. O São Paulo tem direito a 20% do lucro dos holandeses com a venda. O Ajax pagou aproximadamente 16 milhões de euros (cerca de R$ 81,4 milhões pela cotação atual) ao Tricolor pelo atacante.

O São Paulo também tem a receber 2,7% da negociação como formador de Antony. O clube só saberá exatamente quanto embolsará após ser comunicado oficialmente pelo Ajax sobre os valores da operação. Porém, contando o bônus previsto em contrato e a cotação atual do euro, é possível calcular que o valor deve superar os R$ 95 milhões e ficar abaixo dos R$ 99 milhões.

É o segundo jogador contratado pelo United a render lucros ao São Paulo. O primeiro foi Casemiro, que deixou trocou o Real Madrid pelos Diabos Vermelhos por 72 milhões de euros (aproximadamente R$ 373,9 milhões). Caso o volante atinja algumas metas estabelecidas, o montante do negócio pode subir para 13 milhões de euros em bônus (cerca de R$ 67,4 milhões).

Como clube formador do jogador, o Tricolor tem direito a 3,5% do valor pelo mecanismo de solidariedade. Ou seja, deverá abocanhar aproximadamente R$ 13 milhões. Bolada superior a que ganhou pela classificação ante o América-MG nas quartas de final da Copa do Brasil - R$ 8 milhões.

Até agora, com as saídas desta janela (Gabriel Sara, Lucas Perri, Rigoni) somadas as que aconteceram durante o primeiro semestre, o São Paulo acumula aproximadamente R$ 128 milhões em vendas. A meta de R$ 142 milhões em negociações no balanço financeiro é vista como uma forma de manter as contas equilibradas, já que a dívida do Tricolor beira os R$ 700 milhões.

A situação, como um todo, não deixa de ser irônica, já que, ao mesmo tempo que pode receber uma "mega-sena acumulada" do United, o São Paulo tem dois atletas em seu plantel (Bustos e Ferraresi) emprestados pelo Grupo City em esquema parceria. O conglomerado árabe é o principal mantedor do Manchester City, rival local dos Diabos Vermelhos.