Com ânimo nas alturas, Argentina enfrenta a modesta Estônia em amistoso

Liderada por seu astro Lionel Messi, a seleção argentina buscará ratificar seu grande momento neste domingo ao enfrentar a Estônia em um amistoso no Estádio El Sadar, em Pamplona, no norte da Espanha.

A equipe comandada pelo técnico Lionel Scaloni deu recentemente uma grande demonstração de seu futebol na última quarta-feira em Londres, quando goleou a Itália por 3 a 0 no estádio de Wembley, na partida entre os últimos campeões da Copa América e da Eurocopa.

Com sua retumbante vitória, a Argentina atingiu o recorde histórico de 32 jogos sem perder, desde a derrota para o Brasil em 2 de julho de 2019 nas semifinais da Copa América, quando a seleção brasileira venceu por 2 a 0 no Mineirão.

A 'Albiceleste' superou assim o recorde histórico que havia sido estabelecido durante o ciclo do técnico Alfio Basile, quando a Argentina estava invicta desde a estreia do treinador em 1991 até a derrota por 2 a 1 em 1993 contra a Colômbia em Barranquilla pelas eliminatórias para a Copa do Mundo dos Estados Unidos-1994.

- Messi desde o início -

A estrela e capitão Messi deve ser titular contra a Estônia, depois de ter jogado todos os 90 minutos da partida contra a Itália.

Maior artilheiro da história da seleção argentina com 81 gols, 'La Pulga' busca chegar em sua melhor forma à Copa do Mundo do Catar, que pode ser sua última chance de vencer o Mundial.

De qualquer forma, neste jogo Scaloni dará chances a alguns jogadores que não costumam entrar em campo como titulares.

Na frente, Julián Álvarez, atacante do River Plate que já se transferiu para o Manchester City, terá a chance de garantir sua vaga no elenco que irá para o Catar.

Por outro lado, desta vez serão poupados o goleiro Emiliano 'Dibu' Martínez, que sofreu uma lesão no joelho, e o zagueiro Cristian Romero, com dores.

Na sexta-feira, o meia Ángel Correa, do Atlético de Madrid, foi afastado do elenco. Ele passará por uma cirurgia para reacomodar uma prótese que havia sido colocada durante uma intervenção cardíaca pela qual passou em 2014.

- Poucas armas, papel digno -

Do outro lado, a Estônia, com suas poucas armas disponíveis, tentará resistir contra uma das melhores seleções do mundo.

A equipe comandada por Thomas Häberli está na 110ª posição no ranking da Fifa e nunca disputou uma Copa do Mundo.

Na quinta-feira passada, no entanto, ganhou um impulso moral ao vencer San Marino por 2 a 0 em casa, em Tallinn, pela quarta categoria da Liga das Nações Europeias, encerrando uma série de quatro jogos sem vencer.

Seu jogador de maior destaque é Joonas Tamm, zagueiro do FC Flora de Tallinn, de 30 anos, que marcou um dos gols contra San Marino e cujo passe pertence ao Vorskla Poltava, da Ucrânia, de onde emigrou após a invasão russa daquele país.

O confronto entre Argentina e Estônia será disputado a partir das 20h00 locais (15h00 de Brasília) e o árbitro será o suíço Urs Schnyder.

Prováveis escalações:

Argentina: Franco Armani - Gonzalo Montiel, Gastón Pezzella ou Lisandro Martínez, Nicolás Otamendi, Nicolás Tagliafico ou Marcos Acuña - Rodrigo De Paul, Guido Rodríguez, Alexis Mac Allister - Lionel Messi, Julián Álvarez e Nicolás González. Técnico: Lionel Scaloni.

Estônia: Karl Hein - Marten Kuusk, Joonas Tamm, Karol Mets - Sergei Zenjov, Konstantin Vassiljev, Mattias Kait, Vlasiy Sinyavskiy, Vladislav Kreida - Robert Kirss e Erik Sorga. Técnico: Thomas Häberli.

str/ls/cl/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos