Chefe da Polícia de Paris admite ‘fracasso’ em final da Champions

Confusão na entrada do Stade de France na final da Champions League (Foto: AFP)


Além do décimo quarto título do Real Madrid, a decisão da Champions League ficou marcada também pelo caos nas zonas de acesso do Stade de France. Para conter o tumulto, a polícia local teve que usar gás lacrimogêneo. O chefe da Polícia de Paris, Didier Lallement, admitiu o ‘fracasso’ e pediu desculpas aos torcedores presentes.

+ Após renovar com Mbappé, PSG prepara barca com 12 jogadores

Lallement lamentou que torcedores tenham sido feridos com as ações impostas pela polícia local e que a imagem da França fosse prejudicada. Paris, capital do país, foi bastante criticada pela organização e segurança do evento, levando em consideração que a cidade vai sediar as Olimpíadas de 2024.

Por outro lado, Lallement ainda destaca que ‘parecia a única maneira de afastar a multidão sem uma carga direta’ e que a polícia ‘impediu uma tragédia’. Isto porque havia uma multidão exercendo pressão nas entradas do Stade de France.

Dois dias após a final, o ministro do Interior, Gerald Darmanin, defendeu que o caos gerado se deu pela fraude de ingressos. Segundo ele, 70% dos bilhetes eram falsos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos