Centro especializado de Polícia inaugura dojô que abrigará projeto social

Estrutura vai abrigar aulas de lutas para jovens de comunidades próximas (Foto: Divulgação)


Unidade responsável por especializar a Polícia Militar do Rio de Janeiro, o Centro de Instrução Especializada e Pesquisa Policial (CIEsPP), localizada no bairro de Ramos, inaugurou recentemente um dojô para a prática de diversas modalidades de artes marciais, tanto para o aprimoramento de policiais quanto para receber crianças e jovens de comunidades ao redor.

A estrutura foi montada numa parceria entre Legião da Boa Vontade, Super Rádio Brasil AM 940, Prime Esportes, Boomboxe e Tintas Nacional, pool que, desde 2009, instalou salas de treinamento de lutas em diversas unidades de forças de segurança no estado do Rio de Janeiro, incluindo Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal. Além disso, também patrocina dezenas de projetos sociais.

"Segurança pública não se faz apenas com a força", lembra a capitã Paula Mendes. "A prevenção é fundamental. Por isso, a Secretaria de Estado de Polícia está sempre atenta a projetos que possam dar oportunidades aos jovens, a ações que os encaminhem a uma direção certa. O objetivo dessa sala de lutas é atender os jovens que moram nas comunidades adjacentes, como a Roquette Pinto e Maré".

A maioria dos professores que levarão os ensinamentos técnicos e filosóficos das artes marciais aos jovens das comunidades vizinhas é formada por policiais militares graduados em suas respectivas modalidades de luta.

"Estamos sempre em contato com as escolas em nosso entorno, que nos atentaram para a importância desse tipo de incentivo, de novas experiências aos jovens. Nossos policiais que ficarão à frente do projeto são formados em educação física, são lutadores e darão aulas de qualidade e com uma estrutura de alto nível, de graça, em prol do futuro dessas crianças e da sociedade", destaca a capitã.

Todas as salas de lutas inauguradas pela LBV e seus parceiros possuem um padrinho. A do CIEsPP é o presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos de Espetáculos de Diversões do Estado do Rio de Janeiro (Sated-RJ), Hugo Gross, que é faixa preta de jiu-jitsu do mestre Fernando Pinduka, faixa-vermelha formado por Carlson Gracie.

"Fiquei muito feliz pelo convite, porque sou um admirador do trabalho da LBV e da Polícia Militar. Adoro participar de eventos de cunho social, acho muito importante. A Sated-RJ é uma grande apoiadora desse tipo de ação, inclusive voltada ao esporte, até porque esporte é cultura. A Sated-RJ se sente honrada por fazer parte disso", exaltou Hugo Gross.

"O jiu-jitsu mudou a minha vida, me passou segurança, uma sensação de bem-estar, me deu autocontrole, autoconfiança e melhorou minha autoestima. Além disso, as artes marciais realmente tem o poder de tirar as pessoas do mau caminho", completou o faixa-preta.