Ceni reforça confiança nos atacantes em meio a chances desperdiçadas pelo São Paulo: 'É hora de ter calma'

Rogerio Ceni não vive grande fase no comando do São Paulo (Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net)


Rogério Ceni analisou a derrota do São Paulo para o Fortaleza por 1 a 0. O confronto aconteceu neste domingo (28) pelo Campeonato Brasileiro. Com o resultado da partida, o Tricolor paulista caiu para a 13ª colocação na tabela.

Galeria
> ATUAÇÕES: Ataque do São Paulo cria chances, mas para em Fernando Miguel

Tabela
> Veja tabela do Campeonato Brasileiro e simule os próximos jogos

Mesmo com o resultado negativo e a terceira derrota seguida da equipe, o treinador não deixou de destacar o volume de jogo. Para ele, o elenco fez uma boa partida e controlou grande parte do confronto.

Ofensivamente, o São Paulo se apresentou mais. Porém, em todas as oportunidades criadas, a bola parava na defesa do time adversário - muito pela grande atuação do goleiro Fernando Miguel.

– Jogo que controlamos desde o princípio, sofremos um ou outro contra-ataque, e eles conseguiram fazer o gol numa das poucas finalizações que tiveram. No segundo tempo, um volume muito grande do time, com bola na trave, grandes defesas... Controle de jogo bom, e eles em umas escapadas ou outras, tiveram felicidade de fazer gol no primeiro tempo. Infelizmente que, mesmo com tantas e boas oportunidades, não conseguimos marcar - disse.

Contra o Flamengo e o Santos, nos últimos confrontos, o cenário foi parecido. Mesmo com uma pressão maior do Tricolor, a equipe não conseguiu avançar no placar e sair com o resultado positivo.

Porém, o treinador destacou que a culpa não é da defesa são-paulina. Desde a volta de Jandrei, a atuação do goleiro tem sido criticada por parte da torcida.

Em números, há uma certa queda de rendimento. Nos últimos quatro jogos que disputou - desde quando retornou de uma fratura na região lombar - levou 7 gols. Para Ceni, o principal fator foi as chances dadas para o adversário e não o papel do goleiro.

– A gente finaliza muito no gol adversário, os times não finalizam tanto. O Flamengo finalizou quatro, o Fortaleza só uma no nosso gol. O duro é se o nosso goleiro fosse sempre o melhor em campo fazendo oito defesas, era preocupante dando muitas chances ao adversário - completou.

Diante a isso, Rogério Ceni ressaltou que confia em seus atacantes. O treinador tomou como principais exemplos Calleri e Luciano - dois jogadores extremamente identificados com a torcida tricolor. Também destacou que finalizações são um dos grandes focos dos seus treinamentos.

– Confio nos meus atacantes, eles sabem disso. Trabalho de finalização quase todo dia é feito. É questão de momento, paciência. O torcedor confia no Calleri, no Luciano. Fica chateado porque vê seu time perder, mas tenho certeza que eles confiam em quem faz a definição. Que tenham calma e lucidez pra voltar a fazer os gols que fizeram tantas vezes - disse.

O São Paulo agora volta a campo na quinta-feira (1) contra o Atlético-GO. A partida acontece às 21h30, no Morumbi, e será válida pelo primeiro encontro pela semifinal da Copa Sul-Americana.