Canal Olímpico do Brasil fecha parceria para a transmissão gratuita dos mundiais de ginástica

Bárbara Domingos é destaque do Brasil na ginástica rítmica   (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)


O Canal Olímpico do Brasil fechou um acordo com o Spring Media Group, da Suécia, para a transmissão dos mundiais de ginástica rítmica, artística e de trampolim. A parceria começa a valer nesta semana, a partir de quarta-feira, 14, com a exibição do Mundial de Ginástica Rítmica, e se estenderá até 2023.

+ Em sede inédita? Veja os times que estarão no Mundial de Clubes 2022

A transmissão do Mundial de Ginástica Rítmica é o primeiro fruto da parceria com o Spring Media Group. A competição acontece entre os dias 14 e 18 de setembro em Sófia, na Bulgária, e concederá seis vagas para Paris 2024.

Para Paulo Wanderley, presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), essa novidade reitera o trabalho que tem sido feito pela instituição em prol do fortalecimento do canal, trazendo cada vez mais eventos relevantes para a sua grade de conteúdo.

- Ficamos extremamente contentes com esse acordo. Nosso objetivo, desde o início do projeto, é dar visibilidade às mais diversas modalidades, além de trazer para o público brasileiro, de forma gratuita, competições de alto nível, como é o Mundial de Ginástica, porque sabemos o poder transformador que o esporte possui - destaca o gestor.

+ Mundial de ginástica rítmica começa nesta quarta-feira

Já Luciene Resende, presidente da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), ressalta a importância de iniciativas como essa, que contribuem diretamente para o crescimento da ginástica no país.

- É um sonho antigo da CBG termos os mundiais das modalidades olímpicas de ginástica disponíveis para os nossos fãs e torcedores. Ter esses eventos exibidos pelo Canal Olímpico, que já demonstrou grande competência técnica e paixão pelo esporte nesses poucos anos de vida, tem um significado grande para nós. É a perspectiva de que a ginástica terá uma base extraordinária para ser visualizada e para crescer em popularidade - comenta.

- Os progressos, o esforço e as conquistas dos ginastas brasileiros poderão ser acompanhados por todos. Agradecemos ao COB e ao Canal Olímpico por essa parceria que se inicia - acrescenta Resende.

Com menos de dois de criação, o Canal Olímpico do Brasil, feito em parceria com a plataforma de streaming NSports, já acumula números relevantes: são mais de 250 transmissões realizadas, contemplando cerca de 40 modalidades, e 200 mil pessoas cadastradas em sua base de fãs, além de 400 mil horas assistidas.