Célio de Barros será reativado após nove anos fechado

Célio de Barros está fechado desde 2013 (Foto: Reprodução)


Fechado desde 2013, o Estádio Célio de Barros será reativado no Rio de Janeiro. Um dos palcos mais tradicionais do atletismo brasileiro, o local ganhou notoriedade novamente tendo, inclusive, uma comissão chefiada pelo secretário estadual de esportes e lazer da cidade, Alessandro Carracena.

Depois de reunião para formar a comissão, que contou com a presença do medalhista olímpico Robson Caetano, o Célio de Barros ganhará um processo de licitação para definir qual empresará fará a reconstrução. Vale destacar que não existe nenhum prazo e nem valores definidos.

No momento, o Célio de Barros conta apenas com uma arquibancada e precisaria de uma nova pista de atletismo. De acordo com Alessandro Carcacena, em entrevista ao Globo Esporte, o empenho será grande pela revitalização.

+ 100 dias para a Copa do Mundo: o que fazer no Qatar além de ir aos jogos?

- Temos nos empenhado no processo de início das obras e tivemos mais um grande passo para a reconstrução desse templo do atletismo brasileiro. Vamos dar celeridade ao processo para que as obras sejam iniciadas o quanto antes - disse.

O Estádio Célio de Barros foi fechado desde a última grande obra do Maracanã, para a Copa de 2014, e tem recebido os mais diferentes usos desde então. De estacionamento a hospital de campanha contra a Covid-19, o local tem sido tudo, menos seu propósito: um lar para o atletismo brasileiro.

+ Eduardo Paes revela 'plano B' para atletismo caso pista do Nilton Santos seja retirada

O complexo ocupa uma área total de 18.714m² e tem capacidade para cerca de nove mil pessoas. Palco de grandes lendas do atletismo nos anos 90, o Célio de Barros e seus representantes almejam uma revitalização, especialmente após a pista do Nilton Santos ficar ameaçada em negociações entre Eduardo Paes e John Textor, novo dono do Botafogo.