Cássio salva, Corinthians bate Bragantino e diminui diferença do Palmeiras

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Corinthians segurou o Red Bull Bragantino nos últimos minutos e venceu por 1 a 0 na gelada noite desta segunda-feira (29), na Neo Química Arena, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. Gustavo Mosquito fez o gol da vitória, Cássio foi herói nos minutos finais, e o clube alvinegro diminuiu para oito pontos a distância para a liderança.

A vitória reabilita o Corinthians após três tropeços seguidos no Brasileirão. Com 42 pontos, fica a oito do líder Palmeiras, mantém sua posição no G4 e no domingo (4) tem confronto direto contra o Internacional, que tem a mesma pontuação. O Bragantino, por sua vez, chega a quatro rodadas sem vencer e fica no meio da classificação.

O JOGO

Foram 30 minutos bem sólidos até o gol de Mosquito, o melhor período do Corinthians no jogo. O time controlou a bola, frequentou a área e poderia ter feito o gol mais cedo se tivesse mais capricho no último passe. De modo geral, incomodou muito o Bragantino e roubou bolas perto da área, mas deu espaços demais quando não conseguiu o desarme logo de cara. Tomou sufoco no segundo tempo, quando deixou de trabalhar a bola de um lado para outro.

Fechado, o Bragantino preferiu começar jogando mais sem a bola e só mudou de postura quando ficou atrás no placar. O time errou passes simples, alguns perigosos, mas conseguiu levar perigo e teria melhor sorte se não perdesse as chances criadas. Teve volume de jogo, mas faltou capricho.

Desde o começo o Corinthians impôs seu ritmo e tomou conta do meio-campo para pressionar. Foram vários cruzamentos perigosos, pressão na saída de bola do Bragantino e desarmes já perto da área. Empurrou tanto o Bragantino, que em um lance do primeiro tempo teve que atacar contra oito adversários dentro da área. Ainda assim, criou chances: Yuri Alberto furou uma boa oportunidade aos 21 minutos; Mosquito fez o gol aos 30; e Du Queiroz levou perigo em jogada individual aos 48.

Gustavo Mosquito não era o melhor em campo até o gol, mas já aparecia muito. Em um lance, se atrapalhou sozinho com a bola e deixou ela sair pela lateral; em outro, limpou bem a marcação na velocidade mas deu passe muito fraco na hora da assistência. Aos 30 minutos, após jogada de Róger Guedes, o rebote sobrou limpo para ele ajeitar o corpo, escolher o canto e colocar o Corinthians na frente.

O time visitante passou meia hora mais se defendendo do que atacando, mas se tornou mais ousado depois de sofrer o gol. Já tinha levado perigo com Eric Ramires e principalmente Artur, que quase abriu o placar em uma cavadinha, e a desvantagem deu urgência para o Bragantino sair mais de trás. O melhor lance acabou anulado por impedimento, mas foi um susto daqueles: Cássio teve que fazer grande defesa cara a cara com Carlos Eduardo.

Se no primeiro tempo o Corinthians teve mais a bola e o Bragantino esperou os contra-ataques, no segundo a situação se inverteu. A desvantagem fez o time visitante se lançar mais ao ataque, e o jogo ficou mais rápido, corrido de uma área a outra. O Alvinegro acelerou sempre que possível e teve dois contragolpes para fazer o segundo, mas Du Queiroz parou no travessão, e Yuri Alberto chutou mal.

O Corinthians não resolveu o jogo, tirou seus principais nomes do campo (Renato e Róger) e não conseguiu mais ficar com a bola. Neste cenário, o Bragantino se mandou para frente. Atacou meio no desespero, com cruzamentos seguidos, mas deu certo para virar protagonista do jogo. Artur teve mais uma grande chance na área, limpou a jogada, mas mandou para fora; depois Luan Cândido cabeceou uma bola despretensiosa, e Cássio se virou para defender. O camisa 12 virou herói aos 45 do segundo tempo, em outro cabeceio de Luan Cândido que exigiu grande defesa.

Estádio: Neo Química Arena, em São Paulo (SP)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa/GO)

Auxiliares: Cristhian Passos Sorence (GO) e Luanderson Lima dos Santos (BA)

VAR: Thiago Duarte Peixoto (SP)

Cartões Amarelos: Du Queiroz (COR); Raul (RBB)

Gol: Gustavo Mosquito, aos 30min do 1º tempo (COR)

CORINTHIANS

Cássio; Fagner, Fagner, Gil, Balbuena e Lucas Piton (Fábio Santos); Du Queiroz (Bruno Méndez), Fausto Vera e Renato Augusto (Ramiro); Gustavo Mosquito (Cantillo), Róger Guedes (Mateus Vital) e Yuri Alberto. T.: Vítor Pereira

RB BRAGANTINO

Cleiton; Aderlan (Andrés Hurtado), Léo Ortiz, Natan e Luan Cândido; Raul (Miguel), Lucas Evangelista (Jadsom) e Eric Ramires; Artur, Carlos Eduardo (Sorriso) e Hyoran (Alerrandro). T.: Maurício Barbieri