Briga entre torcidas de Palmeiras e Cruzeiro deixa ao menos 4 feridos a tiros em MG

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma briga entre torcidas organizadas do Palmeiras e do Cruzeiro deixou ao menos 14 feridos na manhã desta quarta-feira (28), sendo quatro deles a tiros. O episódio ocorreu na altura do km 592 da rodovia Fernão Dias (BR-381), na região de Carmópolis de Minas, em Minas Gerais.

A confusão envolveu a organizada palmeirense Mancha Alvi Verde e a cruzeirense Máfia Azul, segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), que foi acionada para atender a ocorrência.

Os quatro baleados, todos torcedores do Cruzeiro, foram levados ao hospital São Judas Tadeu, que fica em Oliveira, cidade mineira a cerca de 40 quilômetros de distância do local onde houve a briga.

Segundo a assessoria de imprensa da unidade de saúde, os quatro cruzeirenses foram baleados na perna esquerda. Três deles, de 31, 33 e 36 anos, já tiveram alta. Outro, de 26 anos, era mantido em observação por causa de um trauma na cabeça, mas tinha alta prevista para esta quarta.

Dez palmeirenses, que foram feridos com paus e barras de ferro, foram encaminhados à Santa Casa de Carmópolis de Minas. Nove deles deixaram o local ainda na tarde desta quarta após serem medicados.

Outro permanecia internado, em estado grave, em decorrência de uma lesão pulmonar. A piora de seu quadro resultou na transferência dele para um hospital em Divinópolis (MG).

A PRF acompanha o caso com o apoio da PM mineira.

A Polícia Civil de Carmópolis de Minas afirmou à reportagem estar ciente do caso e que iria instaurar um procedimento para acompanhá-lo.

A Arteris, responsável pela administração da Fernão Dias, disse que registrou a briga de torcidas, por volta das 10h30, no sentido Belo Horizonte.

Para garantir a segurança de motoristas, o trecho foi totalmente interditado, com apoio da PRF, gerando 3,5 quilômetros de congestionamento. A pista foi liberada por volta das 12h, e o tráfego foi normalizado cerca de meia hora depois, acrescentou a concessionária.

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram o presidente da Mancha Verde, Jorge Luis Sampaio Santos, 39, sangrando, caído no asfalto, rodeado por torcedores do Cruzeiro. Ele está aparentemente desnorteado.

Em outras imagens, o presidente da organizada paulista aparece andando com dificuldade, quando é derrubado com uma voadora, desferida por um homem usando roupas da organizada de Minas Gerais. Nas imagens é possível ver integrantes da Máfia Azul segurando pedaços de pau, barras de ferro e até um facão.

Carregando post do Twitter

Na internet, o presidente de honra da Mancha Verde, Paulo Serdan, classifica o episódio como guerra. "Faz parte da guerra, bater, faz parte da guerra, apanhar também, faz parte da guerra ganhar, faz parte da guerra perder, uma hora você perde", diz sobre o fato de membros da torcida do Palmeiras terem apanhado na rodovia. Ele ainda classificou a ação deles como "heroica".

Também nas redes sociais, a Máfia Azul afirmou ter ocorrido um "fato lamentável" em que precisou "agir em legítima defesa" com o intuito de "defender a integridade de todos [torcedores]" que rumavam para Campinas, onde o Cruzeiro enfrenta, na noite desta quarta (28), a Ponte Preta, pelo Campeonato Brasileiro da série B.

A reportagem não localizou nenhum porta-voz das torcidas organizadas.