Brasileiros relatam detalhes da tragédia na Indonésia e tranquilizam

Tragédia no futebol da Indonésia aconteceu no início do mês (STR / AFP)


Um episódio trágico marcou o futebol neste fim de semana. No último sábado, mais de 100 pessoas morreram e outras centenas ficaram feridas após uma briga generalizada após um jogo pelo campeonato nacional da Indonésia.

A tragédia aconteceu após o apito final da partida entre Arema FC e Persebaya Surabaya; quatro brasileiros atuaram no jogo e relataram momentos tensos da confusão, mas tranquilizaram amigos e familiares. Maringá, goleiro do Arema, e Léo Lelis, Silvio Junior e Higo Vidal se pronunciaram após o episódio.

+ Presidente da Fifa se pronuncia sobre tragédia em partida na Indonésia; 174 pessoas morreram

- Com as trágicas notícias após nosso jogo contra o Arema de ontem, venho através deste expressar minhas condolências e sentimentos às famílias dos torcedores e policiais que faleceram. Informo também que nossa delegação do Persebaya foi muito bem protegida e ontem mesmo chegamos em segurança à Surabaya. Que situações como essa não acontecem nunca mais e que o estádio de futebol seja casa de alegria e amor ao esporte - declarou Léo Lelis em seu perfil no Instagram.

- A gente ficou mais de cinco horas preso no vestiário. Nessas cinco ou seis horas, mais ou menos, foi um desespero. A gente não sabia de nada do que se passava lá fora, só escutava gritos e barulho de bomba, gás - disse Maringá, goleiro do Arema.

+ Briga generalizada em jogo na Indonésia resulta em centenas de mortos

- A gente comentou entre os brasileiros que, se a gente estivesse de ônibus lá, a gente morria. Com certeza. Teríamos sido queimados vivos dentro do ônibus. Que loucura! Nem dá para imaginar um negócio desse no Brasil - relatou Higor Vidal em entrevista ao portal "Globo Esporte".