Brasil supera resto do mundo e dispara como maior campeão de surfe na era WSL

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - O Brasil é o país que mais conquistou títulos do Circuito Mundial de surfe masculino desde que a WSL (Liga Mundial de Surfe), a entidade que organiza o campeonato, mudou de nome em 2015. Com a conquista de Filipe Toledo, a nação brasileira disparou como maior vencedora desta nova era do surfe, com cinco taças.

O Circuito Mundial de Surfe surgiu em 1976 depois que dois surfistas havaianos juntaram eventos de surfe ao redor do mundo para criar o IPS (Surfistas Profissionais Internacionais, na tradução livre) e organizar o primeiro Circuito Mundial.

Em 1983, o surfista Ian "Kanga" Cairns evoluiu o conceito original do IPS e deu início à ASP (Associação dos Profissionais de Surfe), com o controle do esporte, tanto para os organizadores do evento quanto para os surfistas do circuito.

Mais de 30 anos depois, a ASP mudou de nome para WSL, em 2015. A entidade passou a supervisionar as principais áreas envolvendo o Circuito Mundial e o QS (divisão de acesso ao Circuito), Circuito de Ondas Grandes, Campeonato Mundial de Longboard e o Campeonato Mundial Júnior. A WSL também criou escritórios regionais ao redor do mundo, além da sede já existente na Califórnia (Estados Unidos).

O primeiro campeão da era WSL no Circuito Mundial masculino foi para o brasileiro Adriano de Souza, o Mineirinho. Na sequência, dois títulos para o havaiano John John Florence —no surfe, o Havaí é considerado uma nação à parte dos Estados Unidos.

Depois, só deu Brasil. Foram quatro títulos na sequência. Gabriel Medina, em 2018, Italo Ferreira, em 2019, Medina novamente, em 2021, e agora Filipinho. O Circuito não foi realizado em 2020 devido à pandemia da Covid-19. No total, são cinco títulos do masculino para o Brasil, dois para o Havaí e nenhum para outro país na era WSL.

No geral, porém, o Brasil está muito atrás. Considerando todos os Mundiais do masculino desde 1976, o Brasil ainda está atrás de Austrália, Estados Unidos e Havaí:

16 títulos para a Austrália

15 títulos para os EUA (sendo 11 de Kelly Slater)

7 títulos para o Havaí

6 títulos para o Brasil

1 título para o Reino Unido

1 título para a África do Sul