Brasil bate Argentina e avança à semifinal do Mundial

Seleção chega novamente entre os quatro primeiros colocados no Mundial (FIVB)


O Brasil está de volta ao grupo dos quatro melhores do mundo numa competição. Depois de uma VNL irregular, a Seleção Brasileira garantiu vaga na semifinal do Campeonato Mundial Masculino de Vôlei ao derrotar a Argentina por 3 sets a 1 – parciais de 25-16, 23-25, 25-22, 25-21 -, na tarde desta quinta-feira, na cidade de Gliwice, na Polônia.


O time do técnico Renan dal Zotto aguarda agora a definição do seu adversário na próxima fase, que sairá do confronto entre Polônia e Estados Unidos.

Outros dois times já garantiram vaga na semifinal: A Itália, que eliminou a França, na última quarta, numa batalha de cinco sets, e a Eslovênia, que passou pela Ucrânia. As semifinais serão no sábado e a final no domingo. O Brasil busca o quarto título mundial da sua história – foi campeão em 2002, 2006 e 2010 – e vice-campeão nas edições de 2014 e 2018.

Leal foi o maior pontuador do jogo, com 25 pontos, seguido por Wallace, com 13. O Brasil contou com o retorno de Lucarelli, que não atuou na vitória contra o Irã, nas quartas de final, após sentir um desconforto da panturrilha esquerda. Renan escalou o time com: Cachopa, Wallace, Lucão, Flávio, Leal, Lucarelli e Thales. Bruninho entrou na reta final do quarto set, quando a Argentina vencia por uma diferença de três pontos, e foi bem, distribuindo com eficiência.

O Brasil fez um primeiro set arrasador. E o nome da parcial foi Leal. O ponteiro recebeu nove bolas para atacar e colocou todas elas no chão. Para finalizar, marcou o ponto final no bloqueio. Uma aula!

O esperado equilíbrio do clássico sul-americano apareceu no segundo set. O oposto Bruno Lima passou a ser mais efetivo na virada de bola, enquanto o conhecido volume de jogo dos hermanos apareceu. No lado brasileiro, faltou mais efetividade para Wallace. Tudo igual.

Você ouviu volume de jogo? Foi o Brasil que mostrou suas credenciais, com Thales fazendo várias defesas, além de uma cobertura muito ligada. E assim o time foi gerando contra-ataques para abrir vantagem. A Argentina esboçou uma reação com Kukartsev, mas quem tem Leal para decidir tem tudo.

No segundo set, o Brasil sentiu pressão na recepção. Leal, que tinha feito 10 pontos no primeiro set, marcou apenas três no segundo. Foi caçado no saque e a Argentina venceu a parcial por 25 a 23.

O terceiro set foi equilibrado do início ao fim. Leal seguiu decidindo as bolas difíceis e Cachopa conseguiu jogar mais com os centrais, dificultando a marcação dos argentinos. Na quarta parcial, a Argentina chegou a estar vencendo por 14 a 10, depois de fazer três pontos de bloqueio e aproveitar bem os contra-ataques. Bruninho entrou no lugar de Cachopa e o jogo voltou a fluir, sempre com Leal comandando os ataques.