Botafogo x Flamengo: Bepe critica e dispara contra organizadas rubro-negras


O clássico entre Botafogo e Flamengo, realizado no Nilton Santos, no domingo, ficou marcado por mais confrontos entre as torcidas. E o Batalhão Especializado em Policiamento nos Estádios (Bepe) explicou os diversos pontos de estopim para os conflitos entre alvinegros e rubro-negros (assista ao vídeo abaixo).

Em contato com o LANCE!, o Coronel Hilmar Faulhaber, um dos comandantes do Bepe, revelou que a torcida do Flamengo causou boa parte dos conflitos. De acordo com o agente, as organizadas Raça Rubro-Negra e Jovem Fla, que estão punidas pelo Ministério Público, estiveram no local e foram determinantes para a confusão.

+ West Ham anuncia a contratação do brasileiro Lucas Paquetá

AdChoicesPUBLICIDADE
- A Raça Rubro-Negra e a Torcida Jovem são organizadas que estão punidas, nem deveriam comparecer ao estádio. É uma afronta direta ao poder público e tentamos intervir logo de imediato a fim de evitar que chegassem ao estádio. Foram realizadas algumas apreensões de materiais utilizados para prática de violência. Conseguimos evitar o que poderia ter se tornado um grande conflito no entorno do estádio. Os clássicos entre Botafogo x Flamengo, são jogos de alto risco devido à grande rivalidade entre as torcidas organizadas - disse o Coronel.

Segundo informações do próprio batalhão, a união entre as torcidas do Flamengo teriam totalizado 500 pessoas, e a vasta maioria não tinha ingresso. Nos conflitos, foram apreendidas diversas armas, como um taco de beisebol com arame farpado, mas ninguém foi preso durante a ação.

+ Flamengo confirma saída de Vitinho para o Al Ettifaq, da Arábia Saudita

As torcidas de Flamengo e Botafogo, inclusive, se chocariam no viaduto Armando Nogueira, se não fosse pela ação da Polícia Militar. O movimento foi dispersado, mas não foi possível conter toda a tensão que pairava no Nilton Santos.

HISTÓRICO DE VIOLÊNCIA

Flamengo e Botafogo no Estádio Nilton Santos não tem sido um jogo pacífico para as forças policiais. Em 2017, por exemplo, em triste ocorrido que foi citado pelo Coronel Faulhaber, um torcedor do Botafogo foi morto com um espeto de churrasco, após conflito entre as torcidas.

Desde então, o clima nos jogos entre as duas equipes tem sido ainda mais hostil. Perguntado sobre a possibilidade de o clássico emplacar a "torcida única", Faulhaber argumentou que a decisão depende de outros órgãos públicos.

+ Eric Faria lamenta casos de violência nos jogos entre Botafogo e Flamengo: 'Perdemos como sociedade'

- Quanto a adoção de torcida única é uma decisão que tem que ser adotada em conjunto com os demais órgãos responsáveis pela segurança pública, Confederações, Federações e clubes. Não posso afirmar isso sem consultar outros órgãos - finalizou.