Que Flamengo é este?

Teo JoséComentarista de automobilismo e futebol
Blog do Teo José

O mais fanático torcedor do Flamengo sempre teve a noção que as coisas não andam bem. Dentro e fora de campo. A paixão pode ser cega, mas não é burra. E 2012 tinha tudo para ser um grande ano para o clube. Mas na preparação e saída de Vanderlei Luxemburgo, os problemas ficaram ainda mais evidentes.

O Flamengo de hoje não tem comando, seus dirigentes batem cabeça e os mais bem intencionados são apenas torcedores. Falta capacidade. Em campo se vê um treinador ultrapassado, sem força e com discurso pronto. Os jogadores, na grande maioria, não têm comprometimento. Com todos estes sintomas,  o que vemos  é um time muito doente.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Vou até passar por cima do que foi a derrota de ontem frente ao Emelec. Quase o mesmo filme do empate com o Lanús, na Argentina. O treinador tomou as mesmas atitudes. Com vantagem no placar, se trancou de forma clara e ridícula. Aliás, time como o Flamengo, com o histórico que tem, não pode ser retranqueiro. Não combina.

Só que as pessoas que hoje estão no comando não respeitam a tradição e tratam o clube sem profissionalismo.

A bagunça é geral. É isto que se reflete em campo. O Flamengo precisa de uma faxina. Limpar dirigentes, jogadores e comissão técnica. O Flamengo necessita de gente com visão e profissional. A Libertadores ainda é possível, no papel. Na prática, não. Os matemáticos estimam em 6% as chances.

Na última rodada o time precisa vencer o Lanús, em casa, e torcer para um empate entre Olimpia e Emelec. Combinação que pode acontecer, mas com o futebol que vem jogando só vai prolongar o sofrimento do torcedor.

O ano de 2012 pode ser totalmente perdido pelo Flamengo. Só não será se as mudanças acontecerem e que sejam agora. Repito o que disse aqui outro dia:  este não é o Flamengo do torcedor. E vejo que se nada for feito neste momento, vai piorar. A hora é agora.

Leia também