[VÍDEO] Dirani com todo merecimento em Curitiba

Comentarista de automobilismo e futebol
Blog do Teo José

Danilo Dirani  estava forte em busca de sua primeira vitória na Fórmula Truck. Ontem acabou realizando seu objetivo com muita propriedade e merecimento. Ganhou de ponta a ponta, depois de fazer a pole-position com seu caminhão Ford - da equipe DF. Mais uma vez, o público lotou as arquibancadas e camarotes. Cerca de 50 mil pessoas. Mas nem tudo é para se comemorar na corrida aqui de Curitiba. Vi cenas que não cabem mais no automobilismo, um esporte apaixonante, emocionante e perigoso.

Paulo Salustiano, só pensando em se defender, usando todas as armas que possuía, acabou prejudicando Geraldo Piquet e Diumar Bueno. É bom piloto, rápido, mas precisa rever seus conceitos de automobilismo. Depois, no finalzinho da corrida, Geraldo Piquet, que era retardatário, bateu no meio do caminhão do Felipe Giaffone, no fim da reta. Felipe é seu principal adversário na disputa do título e se terminasse a corrida, estaria com uma vantagem enorme na corrida de encerramento em Brasília, terra do Geraldo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Clique e veja o vídeo da batida

Os dois bateram boca depois do acidente. Geraldo, para os comissários, alegou que perdeu o freio. Os mesmos fizeram uma verificação no carro e não constataram problemas. Felipe entrou com um processo, pedindo mais do que a exclusão da corrida, atitude tomada pelos comissários - o que, na verdade, custou apenas dois pontos ao Geraldo.

No material da assessoria da categoria, a informação oficial, Geraldo disse que não teve espaço no fim da reta e por isso o toque.

Eu vi inúmeras vezes a pancada e só tenho a lamentar. Gosto de um automobilismo competitivo, também acho que o esporte tem sempre um lado de ético e nobre. A manobra está longe disto. Foi uma cena que não gostaria de ter narrado. Mais do que um erro, uma postura totalmente errada. Quando lembro de toda confusão de ontem, me vem a cabeça o filho do Felipe dizendo, uma hora depois do acidente: "por que ele fez isso com meu pai. Ele não podia. Será que vai fazer de novo?"

Boas perguntas Nicolas...boas perguntas.

Leia também