100 dias para a Olimpíada: As chances de medalhas do Brasil se os jogos começassem hoje

Romano Olímpico - Yahoo Esportes

A 1º Olimpíada na América do Sul está chegando…. Hoje apresento mais um panorama de quais brasileiros teriam chances de medalha, se a competição começasse  agora. Não significa que “  todos os 45 nomes abaixo vão ganhar medalha”. São chances baseadas em resultados no ciclo olímpico. 

Acredito que o Brasil supere seu recorde de 17 medalhas em Londres, mas não creio  que acabe entre os 10 melhores do quadro de medalhas. Devemos obter  entre 21 e 23 medalhas e terminar entre os 15 melhores. A melhor colocação do Brasil no quadro de medalhas foi em 1920, o 15º lugar. A edição em que o Brasil mais ganhou ouros foi em 2004 com 5.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A cada semana o levantamento muda devido a contusões, evolução dos adversários, casos de doping e resultados positivos ou negativos dos nossos atletas em competições importantes. Em análises anteriores havia colocado Cesar Cielo como medalhista. Agora ele está fora dos Jogos.  Já o futebol feminino e masculino conheceram os adversários no sorteio e aumentaram as chances de medalha.  João Gomes fez o 2º melhor tempo do ano nos 100 peito, o que o colocou na lista de cotados para medalha.  Segue a previsão de momento

Quem tem chances reais de brigar por ouro:  11 possibilidades

Erlon Souza e Isaquias Queiroz  (foto) - canoagem velocidade, C2 1000 metros: venceram a prova no mundial do ano passado

Larissa e Talita- vôlei de praia:  campeãs do circuito mundial no ano passado

Alison e Bruno- vôlei de praia: campeões mundiais no ano passado

Arthur Zanetti- ginástica artística- argolas:  voltou a tirar ótima nota e venceu o evento teste contra o atual campeão mundial

Ana Marcela Cunha- maratona aquática:  bronze no último mundial, costuma ir muito bem em casa

Seleção de futebol masculino: o sorteio foi muito favorável ao Brasil

Mayra Aguiar- judô: foi ouro na competição mais importante de 2016, o Grand Slam de Paris

Érika Miranda- judô:  apesar de ainda não tido um resultado espetacular em 2016 é a judoca mais regular do Brasil.

Seleção de vôlei feminino- atual bicampeã olímpica

Seleção de vôlei masculino- com exceção da Liga Mundial do ano passado, tem presença constante em pódios de todas as competições.

Robson Conceição- boxe: atleta experiente com ótimo nível técnico, deve se beneficiar do fator casa.

Quem tem chances de brigar por medalha: 19 possibilidades

João Gomes ( foto)- natação- 100 peito


Bruno Fratus- natação- 50 livres
Thiago Pereira- natação- 200 medley
Poliana Okimoto- maratona aquática
Robert Scheidt- vela, classe Laser
Fernanda Oliveira/ Ana Barbachan- vela, classe 470
Martine Grael/ Kahena Kunze- vela, classe 49er
Evandro e Pedro Solberg- vôlei de praia
Agatha e Bárbara Seixas- vôlei de praia
Isaquias Queiroz- canoagem- prova de C1 200 metros
Isaquias Queiroz- canoagem- prova de C1 1000 metros
Robenilson de Jesus- boxe
Fabiana Murer- atletismo
Diego Hypólito- ginástica artística- prova de solo
Victor Penalber- judô
Sarah Menezes- judô
Rafaela Silva- judô
Maria Suelen- judô
Seleção de futebol feminino

Quem pode surpreender: 15 possibilidades

Marcus Vinicius ( foto)- tiro com arco

Marcelo Melo e Bruno Soares- dupla do tênis  
Felipe Kitadai- judô
Yane Marques- pentatlo
Jorginho Zarif- vela- classe Finn
Iris Sing- taekwondo- 48kg
Venilton Teixeira- taekwondo  54kg
Allan do Carmo- maratona aquática
Leonardo de Deus- natação- 200 borboleta
Henrique Rodrigues- natação-  200 medley
Caio Bonfim- atletismo- marcha 20km
Seleção de handebol feminino
Felipe Wu- tiro esportivo
Aline Silva- luta- 75kg
Rafael Silva ou David Moura- judô 

Leia também