Top 10: faltas mais violentas da história do futebol

Pode acontecer em um jogo importante ou em um amistoso sem pretensões. O motivo pode ser vingança, acidente ou simplesmente um jogador louco. O site inglês 101 Great Goals resolveu listar as 10 entradas mais violentas da história do futebol. As lesões causadas em algumas delas impressionam mais do que as próprias faltas. Assista e se espante com o que os jogadores profissionais são capazes de vez em quando. O lance do goleiro Gustavo, do Sport, não entraria na lista, já que a agressão aconteceu com a bola fora de jogo.

10. Volante Nigel De Jong, da Holanda, no volante Xabi Alonso, da Espanha, pela final da Copa do Mundo de 2010. O árbitro não deu nem amarelo ao holandês pelo lance.

9. Meia Axel Witsel, do Standard Liège, no lateral Marcin Wasilewski, do Anderlecht, pelo Campeonato Belga 2009/10. Witsel recebeu suspensão de oito jogos. Wasilewski, que quebrou a tíbia e a fíbula, demorou oito meses para se recuperar.

8. Zagueiro Martin Taylor, do Birmingham, em Eduardo da Silva, do Arsenal, no Campeonato Inglês 2007/08. O atacante brasileiro ficou um ano parado pela lesão nos ligamentos do tornozelo. Taylor foi suspenso por três jogos.

7. Lateral Ben Thatcher, do Manchester City, no meia Pedro Mendes, do Portsmouth, pelo Campeonato Inglês de 2006/07. A cotovelada rendeu um dia de hospital a Pedro Mendes e uma suspensão de oito jogos da Thatcher.

6. Mido, da seleção egípcia, em Mostafa Abdul-Rahim, do Al-E'lameyin, em 2004. Era apenas um amistoso contra um time da segunda divisão, mas o atacante Mido teve de pagar a operação e os seis meses de tratamento do rival após sua falta.

5. Roy Keane, volante do Manchester United, em Alf Inge Haaland, meia do Manchester City, pela Liga Inglesa de 2000/01. Keane fez isso por vingança, pois Haaland o ofendeu após o mesmo Keane ter rompido os ligamentos do joelho de Haaland três anos antes.

4. Benjamin Massing, de Camarões, em Claudio Caniggia, da Argentina, pela Copa do Mundo de 1990

3. Meia Neil Simpson, do Aberdeen-ESC, no meia Ian Durrant, do Rangers-ESC, pelo Campeonato Escocês de 1988/89. Durrante ficou fora do futebol por três anos devido a problemas no ligamento do joelho.

2. Zagueiro espanhol Andoni Goikoetxea, do Athletic Bilbao, em Diego Maradona, do Barcelona, pelo Campeonato Espanhol de 1983/84. Maradona ficou fora por quase quatro meses.

1. Goleiro alemão Schumacher no francês Patrick Battiston, pela Copa do Mundo de 1982. Battiston lesionou vértebras e quebrou dentes, ficando inconsciente.