Caso Héverton: Portuguesa desconfia de Souza, que se defende

Blog do Jorge Nicola
Jorge Nicola
Jorge Nicola

Quase um ano se passou desde a escalação irregular de Héverton, mas os dirigentes da Portuguesa ainda tentam encontrar responsáveis pelo ato, que ocasionou a perda de quatro prontos e o rebaixamento para a Série B. E até o meia Souza virou alvo de desconfiança.

Tudo porque ele pediu para não enfrentar o Grêmio na última rodada do Campeonato Brasileiro, abrindo espaço para Héverton ser utilizado. Souza, hoje no Ceará, jura que tinha uma lesão muscular.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"O Héverton não estava na primeira relação de jogadores que enfrentariam o Grêmio. E só entrou porque o Souza disse que tinha se machucado", explica Luís Iaúca, então vice-presidente de futebol da Portuguesa e único dirigente a falar abertamente sobre as suspeitas.

“Só havia uma possibilidade de o Héverton ir para o jogo. Só uma, que era a contusão do Souza”, afirma outro dirigente, ligado ao atual presidente Ilídio Lico. “O Gilberto e o Bruno Henrique estavam suspensos, o Jean Mota e o Marcelinho tinham ido disputar um campeonato da base no Sul… Não havia sobrado ninguém, exceto o Héverton.”

De acordo com a Lusa, Souza estava escalado até a antevéspera do confronto com o Grêmio, a mesma sexta-feira em que ocorreu o julgamento de Héverton, na CBF. “Aí o Souza chamou o Guto para conversar e ficou decidido que ele não jogaria”, assegura um membro da comissão técnica, que pede para não ser identificado na matéria.

Héverton participou do último treino antes do jogo, no sábado, ciente de que iria para a concentração — na noite anterior, ele havia levado mais uma partida de gancho pela expulsão contra o Bahia, o que o impediria de encarar o Grêmio. “O Héverton esteve todo o tempo na concentração. Ele ficou no quarto com o Willian Arão.”

Ainda de acordo com dirigentes da Portuguesa, Souza tinha parte de seus salários pagos pelo Fluminense no ano passado. “Ele pertencia ao Fluminense, foi emprestado ao Cruzeiro, que nos emprestou”, relembra o ex-vice-presidente rubro-verde, Roberto dos Santos. Cabia a cada um dos três clubes pagar R$ 70 mil dos vencimentos do meia.

Outro lado - Avisado pelo Blog sobre a desconfiança, Souza se revoltou. “Quer dizer que eles fazem a merda e a culpa é minha? Eu estava jogando machucado e sem receber. Isso é absurdo”, dispara o veterano, que foi alvo de xingamentos em sua última passagem pelo Canindé, neste ano, durante o empate entre Lusa e Ceará.

“Joguei quatro partidas com lesão muscular de grau 2. Por causa da contusão, tenho até hoje um buraco na minha perna, devido à fibrose. O combinado com o Guto é que jogaria enquanto houvesse risco de cair. A equipe chegou à última rodada já praticamente salva”, defende-se. Confira abaixo a entrevista exclusiva com o meia.

Souza foi campeão da Série A-2 com a Lusa (Miguel Schincariol/Gazeta Press)

BLOG_ Você acha que pode haver algum culpado pela escalação do Héverton?
SOUZA_ Fica muito difícil de dar uma opinião dessas, mas, sinceramente, eu não acredito. A única coisa que eu posso dizer é que a Portuguesa era uma grande bagunça durante todo o ano passado.

Bagunça em que sentido? Administrativo? Financeiro? De elenco?
Em todos. Aquele presidente (Manuel da Lupa) era um grande mentiroso. Vivia garantindo que pagaria os salários atrasados, que resolveria as pendências de direito de imagem, que colocaria a casa em ordem… Mas chegava na hora H e nunca cumpria a palavra.

Você era o camisa 10 do time e um dos ídolos da torcida. Tinha algum plano de continuar no Canindé neste ano?
Apesar desses problemas com salários, a Portuguesa sempre foi um clube ótimo para se jogar. Afinal, disputa o Campeonato Paulista, tem um estádio bacana, oferece um CT com ótimas condições… Eu tinha planos de encerrar a carreira na Lusa e dizia isso para todo mundo. Só que essa permanência dependia muito de o time continuar na Série A, por causa dos valores envolvidos.

Você está processando a Portuguesa?
Estou, sim. Preciso buscar os meus direitos, porque não me pagaram quatro meses de direito de imagem. Ficaram devendo para todo mundo.

E ainda mantém contato com o Héverton?
Sempre. Ele é meu amigaço. Todo esse episódio foi bem difícil para ele. Imagina que o cara virou o pivô de um escândalo nacional. Pior é que não apareceu clube interessado e ele teve de sair da Série A, onde jogava com a Portuguesa, para encarar a Série C, com o Paysandu. Hoje já está bem melhor, o time foi para a final da Série C, ele virou ídolo… Mas o começo foi complicadíssimo.

LEIA MAIS:
MP investiga três remessas milionárias a partir do Pará
Portuguesa inocenta Flamengo no Caso Héverton
Presidente da Lusa admite culpa por rebaixamentos, mas detona técnicos e jogadores

Leia também