Ataíde manda e-mail a conselheiros detalhando ‘desonestidades’ de Aidar como presidente do São Paulo

Blog do Jorge Nicola

Rompimento entre Ataíde (à esquerda) e Aidar culminou com renúncia do presidente

A guerra entre Ataíde Gil Guerreiro e Carlos Miguel Aidar ganhou mais um capítulo na noite desta sexta-feira, quando o vice-presidente de futebol do São Paulo enviou um e-mail a todos os conselheiros do clube para detonar o ex-presidente. Depois de chamá-lo de “desonesto” e “sem escrúpulos”, o homem forte do futebol tricolor deu uma série de detalhes que estariam no áudio que gravou de maneira escondida, quando Aidar confessaria atos ilícitos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Não aceitei que ele repartisse comigo parte de suas desonestidades”, escreveu Ataíde aos conselheiros. No e-mail, ele ainda apresenta um texto que enviou ao então presidente em 11 de outubro, reproduzindo trechos da gravação.

Uma delas diz respeito aos valores da negociação de Gustavo Cascardo, lateral-direito que havia conseguido na Justiça o rompimento do contrato com a Portuguesa e poderia chegar de graça ao Tricolor. Ataíde escreve: “Você dentro do ônibus indo para o estádio oferece repartir comigo uma comissão de R$ 200 mil na compra por R$ 2 milhões de um atleta da base da Portuguesa de nome Gustavo. Respondo sem atrito, embora indignado, que este jogador nos fora oferecido gratuitamente”.

Segundo Ataíde, Aidar descreve em detalhes como receberia os valores e entregaria a parte do vice-presidente em dinheiro. “Não tem batom na cueca e nada acontecerá a nós dois”, teria dito Aidar. 

O vice-presidente também revela no e-mail que a TML Foco, empresa de Cinira Maturana, namorada de Aidar, teria recebido R$ 2 milhões como comissão da Under Armour pela intermediação do contrato de fornecimento esportivo.

O texto de Ataíde a Aidar está escrito assim: “Mostro a você cópia de contrato sem assinaturas entre a Under Armour e a TML Foco, empresa da Cinira, no valor de R$ 6.000.000,00, onde a TML recebeu R$ 1.000.000,00 em 20/10/2014, R$ 500.000,00 em 1/01/2005, R$ 500.000,00 em 1/07/2005 e mais 8 prestações semestrais de R$500.000,00 (a última em 1/07/2019)”.Onde está escrito 2005, entenda-se 2015.

A resposta de Aidar teria sido, conforme mostram as gravações: “De fato a Cinira tentou receber R$ 6.000.000,00, mas a Under Armour não topou pagar e desistimos. Seria corrupção mesmo que não consumada, mas o contrato foi assinado, os valores pagos e a CPI do Futebol poderá comprovar”. 

O e-mail também trata sobre a Far East, intermediária que teria direito a R$ 18 milhões, também pela intermediação do contrato com a Under. Segundo Ataíde, a conversa gravada traz o seguinte diálogo: “Você disse que nada tem com isto, jura por Deus, disse que nem quer saber deste negócio e nomeia um seus aliados como responsável pela ilicitude”.

Sobrou até para a hamburgueria Smart Food, conforme trecho gravado da seguinte maneira: “Você nomeia um dos seus aliados e diz que ele recebe comissão descaradamente (é o termo que você usa) em todos os negócios que faz pelo São Paulo. Hoje fui procurado por um conselheiro acompanhado por pessoas que dizem obrigadas a pagar pedágio para negociar com o São Paulo, três delas estão dispostas a testemunhar em qualquer foro”.

O e-mail enviado nesta sexta por Ataíde aos conselheiros, em tom de revolta, se deve ao fato de ele imaginar que foi Aidar quem alimentou o Diário de S. Paulo e o site Espn.com.br com informações sobre sua vida pessoal. O vice-presidente de futebol do São Paulo está com as contas bloqueadas, por causa de uma dívida bancária. Pior: de acordo com a Justiça de São Paulo, ele encontra-se em situação econômica miserável, já que ao vasculhar suas contas no último dia 21, só encontrou R$ 12.

Abaixo, a íntegra do e-mail enviado por Ataíde aos conselheiros, nesta sexta-feira, e o e-mail repassado pelo vice ao então presidente em 11 de outubro, dois dias antes da renúncia de Aidar.

E-mail de Ataíde aos conselheiros nesta sexta:

Conselheiros: Carlos Miguel é assunto encerrado para mim. Homem desonesto, sem escrúpulos, quando sentiu que eu não mais permitiria que ele participasse de negociações de atletas, ofereceu repartir comissões comigo. Disse-lhe, que jamais aceitaria dinheiro desonesto(este diálogo está na gravação entregue ao Conselho de Ética). Tenho honra e nada na minha vida foi realizado com desonestidade. Lamentavelmente, este desqualificado está denegrindo meu nome na mídia e em correspondência aos Conselheiros. Quando gravei a nossa conversa foi a única forma que encontrei para acabar com as desonestidades dele. Hoje vejo minha vida pessoal exposta na internet e já recebi centenas de ligações, fico muito triste com o golpe baixo. Fiquem vocês tranquilos, embora ele tenha criado um fato para tentar mentirosamente empanar meu nome e conseguir que acreditem nas mentiras dele: NÃO ACEITEI QUE ELE REPARTISSE COMIGO PARTE DE SUAS DESONESTIDADES.

E-mail de Ataíde a Aidar em 11 de outubro:

Carlos Miguel:

Além da sua comprovada desonestidade no trato das coisas do São Paulo, da sua já conhecida canalhice, você com suas últimas declarações mentirosas querendo me comprometer, demonstra ser extremamente burro.

Para não sujar o comportamento sério e leal dos seus sócios, me comprometi com eles e com o Antonio Cláudio, que consumada a sua renúncia, desistiria de qualquer outra ação que tornasse pública suas confissões, seja perante a CPI do Futebol (convocado para a próxima semana), seja com a imprensa e até mesmo no Conselho Deliberativo do São Paulo F.C.

Mas você, canalha e burro, desqualificado, sem caráter, covarde, está me atingindo com falsas histórias, sem pé nem cabeça, como se eu em qualquer momento tivesse lhe solicitado dinheiro.

Você mentiu no Conselho Consultivo e para o Vice Presidente Social, homem correto e que o apoiava acreditando nos seus propósitos e que desconhecia a sua capacidade de ganhar dinheiro ilicitamente, usando o poder do seu cargo para agir com desonestidade.

Hoje suas mentiras, suas calúnias, estão publicadas pelo Guilherme Palenzuela e até agora em respeito ao São Paulo F.C. não falei com ninguém da imprensa.

Para que você não se esqueça e eu não necessite tornar publica suas palavras que estão com clareza absoluta na gravação, pois seriam explosivas para algumas pessoas inocentes que você menciona como parte da sua fraude.

Você confessa e o gravador com clareza registra:

REPARTIR COMISSÃO COMPRA DE JOGADOR

1-      Você dentro do ônibus indo para o estádio oferece repartir comigo uma comissão de R$200.000,00 na compra por R$2.000.000,00 de reais de um atleta da base da Portuguesa de nome Gustavo. Respondo sem atrito, embora indignado, que este jogador nos fora oferecido gratuitamente.

2-      Em reunião na presença da Cinira você volta me oferecer repartir a maldita comissão. Consegui controlar minhas emoções sem agredi-lo, mas já pensando em bani-lo não do clube, mas do futebol.

3-      A partir desse momento diálogos GRAVADOS –

- Pergunto: Carlos Miguel como é aquele negócio de você repartir comigo a comissão do atleta Gustavo?

- Aidar: Você descreve em detalhes como receberia os valores e me entregaria a minha parte em dinheiro (não relato o procedimento, embora gravado, por envolver inocentes e tenho medo que este e-mail caia na mídia). Você ainda jocosamente diz “não tem batom na cueca”,  nada acontecerá a nos dois.

- Respondo: Carlos Miguel sou um duro, tive problemas trabalhistas (com ladrões que me roubaram e com ajuda do Ivo Frances os condenei criminalmente e perdi na Trabalhista alguns milhões de reais, não me arrependo da perda pecuniária, lugar de ladrões é na cadeia), hoje chego a pedir empréstimos, mas jamais aceitarei qualquer dinheiro deslealmente, fico muito triste de você achar que não tenho caráter e que poderia dividir comissões comigo. Apenas quero que você saia do futebol e me deixe administra-lo com decência e dignidade, sem avançar em valores que pertencem ao São Paulo F.C.

COMISSÃO DA UNDER ARMOUR PARA EMPRESA DA CINIRA

               Mostro a você cópia de contrato sem assinaturas entre a Under Armour e a TML Foco, empresa da Cinira, no valor de R$6.000.000,00, onde a TML recebeu R$1.000.000,00 em 20/10/2014, R$500.000,00 em 1/01/2005, R$500.000,00 em 1/07/2005 e mais 8 prestações semestrais de R$500.000,00 (a última em 1/07/2019). Você responde GRAVADO: de fato a Cinira tentou receber R$6.000.000,00, mas a Under Armour não topou pagar   e desistimos. Seria corrupção mesmo que não consumada, mas o contrato foi assinado, os valores pagos e a CPI do Futebol poderá comprovar. SEM GRAVAÇÃO: Na segunda-feira antes da reunião no café da manhã, você pediu para eu chegar mais cedo. Jura por Deus que esta muito preocupado com este contrato da Cinira. Mais uma vez repete que tentou a comissão, mas não conseguiu, me oferece mais dinheiro.

FAR EAST – JACK

Indago sobre este contrato já várias vezes discutido no
Conselho Deliberativo. GRAVADO: você disse que nada tem com isto, jura por Deus, disse que nem quer saber deste negócio e nomeia um dos seus aliados como responsável pela ilicitude.

OUTROS NEGÓCIOS ESCUSOS OCORRIDOS

Questiono a questão da Smart Food (hamburgueria) – GRAVADO: você nomeia um dos seus aliados e diz que ele recebe comissão descaradamente (é o termo que você usa) em todos os negócios que faz pelo São Paulo F.C. Hoje fui procurado por um Conselheiro acompanhado por pessoas que dizem obrigadas a pagar pedágio para negociar com o São Paulo F.C., três delas estão dispostas a testemunhar em qualquer foro.

CASO YAGO

Absurdamente, mesmo com o “batom na cueca”, você disse que nada ganhou nesta transação.

CARLOS MIGUEL PENSE EM SEUS SÓCIOS, NÃO ACABE COM A REPUTAÇÃO DO SEU ESCRITÓRIO, PARE COM ESCÂNDALOS, NÃO MINTA MAIS SOBRE MIM, EMBORA EU TENHA CREDIBILIDADE E AS PESSOAS DE BEM NÃO ACREDITARÃO EM UM BANDIDO COMO VOCÊ. NÃO ME OBRIGUE A REVELAR A GRAVAÇÃO COM SUAS INDECÊNCIAS. RENUNCIE JÁ E SUMA DAS NOSSAS VIDAS NO SÃO PAULO F.C.

Você é tão cafajeste, que não respeita nem o seu mais fiel amigo, Antonio Cláudio, você está dizendo a seus aliados mais chegados que você foi orientado pelo Antônio Cláudio a me denegrir o mais possível para minorar os efeitos da minha denúncia. O Antônio Cláudio jamais faria isto, ele é integro e um grande amigo que eu preservo e respeito muito.

O Ministério Público também me procurou querendo enquadra-lo em estelionato e formação de quadrilha, não quero este tipo de envolvimento. As pessoas querem aproveitar deste momento e eu só quero você longe do São Paulo F.C., nada mais me move a não ser a revolta quando você ataca a minha honestidade, a minha lisura, eu não sou da sua laia, você é um ser podre, ganancioso, sem escrúpulos.

RENUNCIE JÁ!          

Leia também