Rafael Santos

Valdivia, violência, ilusão de segurança e duras verdades

Futebol Cinco Estrelas

Demorou, mas um jogador de futebol de um grande clube sofreu um sequestro relâmpago. Escrevo sobre o caso envolvendo o meia chileno Valdivia, que atualmente tenta forçar uma transferência do Palmeiras por estar assustado com a violência no Brasil. Sei que torcedores do Verdão podem não concordar e ver na situação apenas a desculpa ideal para o atleta deixar o time.

Também é óbvio que Valdivia anda devendo um melhor futebol desde que retornou ao Palmeiras.Todos os possíveis argumentos dos torcedores sobre o rendimento do atleta no clube procedem. Mas, Valdivia está certo em tentar proteger sua família depois de sofrer esse tipo de violência por aqui. Ele é um jogador de futebol, mas também é uma pessoa. Um pai de família.

Em entrevista à TVN, do Chile, o jogador do Palmeiras revelou que andou quase três horas com uma arma apontada para sua cabeça. Também explicou que sacou R$ 1 mil e que ficou aterrorizado, já que no Brasil, as pessoas matam por R$ 50". A declaração é forte e pode aflorar o sentimento de revolta nos mais nacionalistas. No entanto, o Mago tem razão.

Últimas estatísticas dão conta de que apenas no Estado de São Paulo ocorreram 4.189 registros de homicídio no ano, 132 a menos que em 2010, o equivalente a 10,05 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Os latrocínios, por sua vez, subiram 20,9% -passaram de 253 casos em 2010 para 306 em 2011. Números não mentem. E qualquer cidadão brasileiro com o mínimo de bom senso vai concordar que a violência é um problema sério em nosso país.

Por enquanto, a situação do jogador do Palmeiras não foi definida. Seus direitos econômicos estão divididos entre o Palmeiras, que tem 54%, Osório Furlan Jr., que é conselheiro e empresário, que tem 36%, e com o pai do jogador, que conta com 10% dos direitos. O certo é que Valdivia está traumatizado. Quem não estaria?

Lamentamos que você não tenha gostado deste comentário. Informe um motivo abaixo.

Tem certeza?
Classificação falhou. Tente novamente.
Falha na solicitação. Tente novamente.
Promoveremos comentários construtivos e espirituosos para aparecerem primeiro, todo mundo vai vê-los!
Lamentamos, mas não é possível carregar comentários no momento. Tente novamente.