Outra visão: A presunção do Bom Senso FC

Blog do Vitor Sergio

TEXTO ESCRITO PELO JORNALISTA JOÃO DA PAZ, DO BLOG GRANDES LIGAS

Desde quando jogadores de braços cruzados são bons exemplos?

A cena vista em jogos da 34ª rodada do Brasileirão 2013, particularmente no jogo Grêmio versus Vasco recebeu o famigerado rótulo de “protesto”. Como se estivessem fazendo algo de extrema relevância e, verdadeiramente, inovador.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Tratar esse gesto simplório como revolucionário demonstra uma falta tremenda de parâmetro e de um mínimo de perspectiva.

Toda movimentação do Bom Senso FC, totalmente fora de qualquer bom senso, reflete o pensamento da liderança desiludida, que se escora num pseudo intelectual travestido de jogador de futebol: Paulo André.

Ele disse em entrevista à ESPN Brasil que “é um tiro no pé ir contra esse movimento”. Humildade, não? O pior é quando o assunto “manifestações” surge e o zagueiro do Corinthians diz que elas vão aumentar.

Numa ridícula nota oficial (não assinada) publicada em uma rede social, o Bom Senso FC, no melhor estilo Black Bloc ameaçou: “Caso haja tentativa de evitar que os jogadores se expressem de forma pacífica, providências drásticas serão tomadas”. Rasa tentativa de se colocarem como vítimas e manipular a opinião pública a seu favor.

Quem ousar se posicionar contra esse movimento acéfalo, portanto sem razão, pode ser vítima das ditas “providências drásticas”? O que vão fazer? Risos surgem só de imaginar...

Um agrupamento liderado por um jogador que sabe ler, outro que sabe falar, e outro que sabe ouvir não tem condição alguma de revolucionar o futebol como petulantemente querem deixar a entender que farão.

Você já ouviu aquela velha história: cachorro que late não morde.

No final das contas o torcedor vai se sentir traído. Essas promessas proferidas de que estão pensando no público é mentira. Se tiverem coragem de entrarem em greve e parar todas as séries do Brasileirão, na mesa de negociação apenas analisarão o seu lado, o ponto de vista dos jogadores. E não estarão errados nisto não, afinal é uma carreira curta (12/13 anos na média) e pensar em revolução fica em segundo plano quando o dinheiro entrar no jogo.

Logo, é legítimo os jogadores buscarem o que acreditam ser de direito. Contudo isso não tem nada a ver com uma propaganda falsa, mal feita e vergonhosa que é o Bom Senso FC.

Querem mudanças? Assumam a responsabilidade de uma paralisação geral. Será que vão assumi-la? Todos os atletas do futebol brasileiro vão aderir? Se milhares desistirem de jogar, outros milhares não estariam dispostos a substituí-los?

O futebol brasileiro é tão carente de originalidade, que qualquer vento de ousadia é reverenciado como se fosse a invenção da roda. A moral dada ao Bom Senso FC é nociva ao próprio “movimento”, pois tira a visão da realidade e os fazem pensar que os “protestos” são o supra sumo do engajamento esportivo mundial.

Finalizo meu texto e, em “protesto”, cruzo meus braços para o Bom Senso FC após teclar no ponto de afirmação.

TEXTO ESCRITO PELO JORNALISTA JOÃO DA PAZ, DO BLOG GRANDES LIGAS

Leia também