Bicicletas que rimam com liberdade

Em Zelenodolsk, perto da frente sul dos combates na Ucrânia, algumas dezenas de pessoas recuperam bicicletas que tinham abandonado quando chegou o invasor russo.

Num depósito da localidade, centenas de bicicletas, velhas e novas, esperam também o regresso dos donos.

Vitaliy Rekhlitsky, que trabalha para a autarquia local, explica que estão aqui guardadas para que os seus proprietários as recuperem no fim da guerra.

Vitaliy Rekhlitsky, trabalhador municipal: "As pessoas fugiram com o que puderam levar, alguns de mãos vazias, outros só com um saco. Aqui ainda há bicicletas com sacos pendurados. Face à tragédia, as pessoas simplesmente fugiram."

Apesar de ainda haver bombardeamentos nas imediações, a contraofensiva ucraniana motivou uma parte da população a regressar a casa.

Dmytro Kostenko, guardião do depósito de bicicletas: "Até fico com lágrimas nos olhos. Os meus familiares estão a voltar, todos os residentes que conheço e mesmo os que não conheço, estão a regressar. Estamos muito contentes."

Os residentes da localidade de 13.000 habitantes explicam que, quando começou a ocupação, os russos apoderaram-se da maior parte das viaturas na área e as bicicletas tornaram-se assim o principal meio de locomoção. Hoje, a escassos quinze quilómetros dos combates, são um símbolo de liberdade.