Bia Haddad se diz orgulhosa por semifinal em Toronto: 'Momento especial'

Semifinal em Toronto é o maior resultado em simples de Bia Haddad em sua carreira, além de também conseguir o feito de ser a primeira brasileira em simples a chegar numa semifinal de WTA 1000
Semifinal em Toronto é o maior resultado em simples de Bia Haddad em sua carreira, além de também conseguir o feito de ser a primeira brasileira em simples a chegar numa semifinal de WTA 1000

Beatriz Haddad Maia, número 24 do mundo, voltou a bater na tecla da humildade e disciplina após virar o jogo contra a suíça Belinda Bencic, 12ª colocada, na noite desta sexta-feira, que lhe valeu vaga na semifinal do WTA 1000 de Toronto, no Canadá.

- Estou bastante feliz com o resultado. Fui bastante humilde e disciplinada para melhorar durante o jogo então estou feliz com o nosso trabalho. Vou tentar desfrutar dessa vitória e me preparar da melhor forma para a próxima partida - disse Bia Maia, que ainda completou:

- É um momento muito especial. A gente trabalha muito duro por muitos anos para viver esses momentos. Estou muito orgulhosa de mim e do meu time. Desde a primeira rodada eu venho tendo momentos difíceis nas partidas, sempre tudo muito disputado. A primeira rodada foi muito difícil mentalmente para mim, lutei muito. No começo da partida de hoje eu estava errando um pouco, mas eu disse para mim mesma para continuar jogando e ser positiva porque uma partida pode mudar muito rápido. Acho que dar mais uma chance para mim mesma foi a chave de hoje e é por isso que estou aqui na semifinal - disse a brasileira.

A semifinal em Toronto é o maior resultado em simples de Bia em sua carreira, além de também conseguir o feito de ser a primeira brasileira em simples a chegar numa semifinal de WTA 1000. O resultado já garante a paulistana no top 20 da WTA, alcançando o maior posto de sua carreira e quebrando um jejum de 18 anos no tênis brasileiro. O último brasileiro a ser top 20 em simples foi Gustavo Kuerten, em 2004.

A partida também foi marcada pelo apoio da torcida brasileira presente em Toronto.

- Tinha sempre alguém gritando 'Vamos, Bia' e hoje também vi muitas bandeiras do Brasil em quadra. Me sinto muito orgulhosa, é muito especial mostrar pro mundo, para os jovens e para as meninas que sonham com isso que você pode tudo - afirmou a brasileira.

Agora, Bia aguarda a vencedora do duelo entre a ex-número 1 do mundo Karolina Pliskova e a jovem chinesa Qinwen Zheng, a 51ª colocada. O jogo que valerá vaga na final acontece neste sábado.

- As duas são tenistas muito difíceis de jogar contra. É semifinal, então todo mundo está jogando bem e se sentindo confiante. Já joguei contra a Pliskova e ela é muito agressiva. Saca muito bem, é difícil jogar contra tenistas assim. E a Zheng a gente treinou juntas aqui mesmo, além de estarmos jogando os mesmos torneios nas últimas semanas, então a gente já se conhece um pouco. Vou tentar focar mais no meu jogo e analisar o que fiz hoje em quadra para melhorar o meu tênis. É hora de curtir e deixar tudo na quadra - finalizou Bia.