Bia Maia orgulhosa: 'É muito legal ver o pessoal assistindo tênis feminino'

NB Open


Após ficar com o vice-campeonato do WTA 1000 de Toronto, no Canadá, a número 1 do Brasil Beatriz Haddad Maia, resumiu as sensações e emoções que passou na maior semana de sua carreira. Bia fez questão de agradecer o apoio do Brasil.

"Estou feliz com a semana. Acredito que, por mais que hoje não tenha saído o resultado que eu gostaria, desde a primeira rodada eu tentei melhorar o meu tênis, fazer coisas que eu não estava fazendo na semana passada, ser agressiva e acreditar mais em mim. Hoje me custou muito depois do 3/0, joguei pra menos. Foram coisas que eu não estava fazendo nos últimos jogos. Perdi seis games consecutivos e isso me custou caro. Mentalmente foi abaixo do que eu estava apresentando. De qualquer forma, estou feliz com a semana. Fiz coisas positivas que vou levar comigo em toda a minha carreira. Tem dias que a gente ganha e tem dias que a gente aprende. Hoje eu aprendi", resumiu Bia através de sua assessoria de imprensa.

A brasileira também comentou a campanha dura em que enfrentou apenas uma tenista fora do top 20 da WTA, a italiana Martina Trevisan, 26ª, e na qual bateu pela primeira vez na carreira a vigente número 1 do mundo.

"Jogar contra grandes jogadoras num torneio grande era um dos meus objetivos. Cada vez mais estar neste meio, conviver, jogar, competir, ganhar, perder, sentir a pressão e ver o que preciso melhorar", revelou.

A número 1 do Brasil fez questão de ressaltar o trabalho diário com sua equipe, que resultou na grande campanha em Toronto. Ela também exaltlou o apoio do público que compareceu a todos os seus jogos na cidade canadense.

"Fiquei feliz com a torcida. Escutei muita gente chamando o meu nome e me dando força. Não só aqui presente, mas também sei que muita gente em casa estava torcendo por mim. É muito legal ver o pessoal assistindo tênis feminino. Sou muito grata por ser essa mulher que representa o Brasil. Um dos meus objetivos não era ser apenas uma tenista top, mas ser uma top que faz a diferença na vida das pessoas. Espero que eu possa ajudar as crianças a acreditarem nos seus sonhos e nelas mesmas. Se eu estou aqui, elas também podem", finalizou.