Bia Haddad atropela croata de 'bicicleta' e vai à 2ª fase do US Open pela 1ª vez

*ARQUIVO* SAO PAULO - SP - BR, 03-11-2017, 11h00: RETRATO BIA HADDAD. A tenista Bia Haddad durante treino no clube Monte Libano. A atleta é a brasileira mais bem colocada no ranking mundial. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
*ARQUIVO* SAO PAULO - SP - BR, 03-11-2017, 11h00: RETRATO BIA HADDAD. A tenista Bia Haddad durante treino no clube Monte Libano. A atleta é a brasileira mais bem colocada no ranking mundial. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

UOL/FOLHAPRESS - Se foi a croata Ana Konjuh, número 117 do mundo, quem nasceu em Dubrovnik, a cidade que serviu de cenário para a King's Landing de Game of Thrones, foi Beatriz Haddad Maia quem começou o US Open gritando dracarys para sua adversária. Com uma atuação agressiva desde a primeira bola em jogo, a brasileira de 26 anos sufocou a rival e saiu de quadra com uma vitória maiúscula por 6/0 e 6/0, de bicicleta (como se chama um duplo 6/0 no tênis), que lhe coloca na segunda rodada do slam americano pela primeira vez na carreira.

Atual número 15 do mundo e estreando como cabeça de chave em um slam, Bia havia competido em Nova York quatro vezes. Em 2016, 2018 e 2021, jogou o qualifying e não chegou à chave principal. Em 2017, entrou direto na chave, mas perdeu na primeira rodada para a croata Donna Vekic.

A próxima adversária de Haddad Maia em Nova York este ano será a a canadense Bianca Andreescu, que foi campeã do US Open em 2019. Atual #48 do mundo, a jovem de 22 anos também venceu nesta segunda. Ela fez 6/0, 3/6 e 6/1 em cima da francesa Harmony Tan.

COMO FOI

Bia foi agressiva nas devoluções desde o game inicial, e foi recompensada por isso, forçando erros de Konjuh. Foi com dessas bolas -um retorno fundo de no meio da quadra- que a croata cedeu a quebra no primeiro game. No terceiro, mais uma quebra. Esta, porem, veio depois de uma ótima paralela de forehand da brasileira que Konjuh só devolveu na rede. Com 13 minutos de partida, a paulista já tinha 4/0 de vantagem, e sua adversária não achou sequer uma maneira de equilibrar as ações no set inicial. Com 25 minutos, após um sexto game longo, Bia completou o "pneu", fazendo 6/0.

A segunda parcial começou, a história seguiu o mesmo roteiro. Bia venceu o sétimo game seguindo anotando outra quebra em cima da croata. Konjuh até conquistou dois break points no quarto game, o que diminuiria a vantagem da brasileira, mas Bia se salvou de ambos e fez 4/0. Já estava claro que a a partida estava encaminhada, a até a sorte ajudou um pouquinho. No quinto game, graças a uma devolução que saiu acidentalmente curta e pegou Konjuh desprevenida, Bia conseguiu mais uma quebra e abriu 5/0. Depois disso, foi só confirmar o saque mais uma vez e carimbar a vitória.