Beckham é criticado por promover Catar em campanha publicitária

O ex-jogador David Beckham recebeu críticas por parte de organizações e nas redes sociais por promover no Catar uma campanha publicitária do emirado, que a partir do dia 20 de novembro receberá a Copa do Mundo.

"É a perfeição para mim", afirma o astro inglês sobre o país, em vídeos para a Qatar Tourism.

"É um lugar incrível para passar uns dias", disse. "Tenho vontade de levar meus filhos", completa.

Nos vídeos da campanha, Beckham é visto sobre uma moto, em um barco, no deserto sob uma tenda acompanhado de homens vestidos com a roupa tradicional do país em um mercado de especiarias.

Beckham também destaca em seu discurso "a mistura entre o moderno e o tradicional" e considera que esse traço desperta "algo realmente especial".

Desde que foi sorteado como país-sede da Copa do Mundo de 2022, o Catar foi o foco principal das organizações de defesa dos Direitos Humanos, especialmente pelas condições de trabalho na construção da infraestrutura para o torneio e pela situação das minorias sexuais.

Segundo a imprensa britânica essa campanha rendeu 10 milhões de libras a Beckham.

Nas redes sociais o ex-jogador foi duramente criticado. Inúmeras mensagens ligavam o astro à posição jurídica da comunidade LGBT no Catar.

A ONG Anistia Internacional condenou a campanha publicitária, apontando "a lamentável situação do país em relação aos direitos humanos".

"A popularidade no mundo e o status de Beckham são ouro para o Catar, porém ele deveria utilizar essa imagem para pedir à Fifa e as autoridades do Catar que cuidem dos terríveis abusos às dezenas de milhares de trabalhadores imigrantes nas obras" de infraestrutura para o mundial, declarou Felix Jakens, um dos responsáveis pela Anistia Internacional no Reino Unido.

ctx/gmo/gk/dr/psr