Barcelona aprova venda de 25% dos direitos televisivos e 49,9% de braço de varejo

Por Fernando Kallas

BARCELONA (Reuters) - O Barcelona aprovou nesta quinta-feira a venda de uma participação minoritária de sua divisão de licenciamento e merchandising e a cessão de até 25% da receita de seus direitos televisivos da liga espanhola, em uma tentativa de melhorar sua situação financeira.

A diretoria do clube espera que isso permita encerrar o ano fiscal sem perdas e aumentar seu limite de gastos.

O presidente do clube, Joan Laporta, disse que a expectativa é de venda de até 49,9% da operação de varejo Barcelona Licensing and Merchandising (BLM) por 200 a 300 milhões de euros e ao menos 200 milhões cada 10% dos direitos televisivos da LaLiga por 25 anos.

O plano para vender o BLM recebeu 89,3% de apoio de 636 participantes (apenas 14,2% do total de delegados do clube), enquanto o acordo sobre direitos televisivos obteve 86,8%.

"Quando chegamos no ano passado, nos encontramos em uma situação financeira muito complicada. Não podíamos arcar com os pagamentos de maio de 2021. Os investidores exigiam 200 milhões de euros que não tínhamos", disse Laporta durante assembleia.

Em 2021, Laporta foi eleito para uma segunda passagem pelos gigantes catalães após a diretoria anterior renunciar devido à deterioração das finanças do clube e outras controvérsias. Ele herdou uma profunda crise financeira exacerbada pela pandemia de Covid-19 e, restringido pelas regras do Financial Fair Play (FFP) da liga espanhola, o Barça não conseguiu renovar com Lionel Messi, que saiu como agente livre para o Paris Saint-Germain no ano passado.

(Reportagem de Fernando Kallas)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos