Autógrafos de Jorginho 'arruínam' camisas de fã de jogador americano

UOL/FOLHAPRESS - Se você é fã do Chelsea, provavelmente gostaria de ter um autógrafo de Jorginho em uma camisa do time.

Não foi o caso, entretanto, de um torcedor que caçava uma assinatura nas proximidades do local em que o clube inglês treinava durante sua pré-temporada nos Estados Unidos.

A equipe, uma das mais famosas da Inglaterra e algoz do Palmeiras no mais recente Mundial de Clubes, fará amistosos nos EUA contra o América do México e contra o Charlotte, que disputa a MLS (Major League Soccer).

Justin Ruderman fez o que todos os caçadores de autógrafos fazem. Aproximou-se do caminho pelo qual os atletas passam ao deixar o treino e aguardou, otimista e ansioso. Ele tinha duas camisas nas mãos.

Ao perceber a presença dele atrás da grande de proteção, o volante brasileiro Jorginho, que tem cidadania italiana e conquistou a Eurocopa em 2021 com a Squadra Azzurra, aproximou-se, já com uma caneta na mão, e em questão de segundos deixou sua marca nas vestimentas.

Eis um fã afortunado, certo? Não, pelo contrário.

Justin foi pego de surpresa e não conseguiu avisar Jorginho que não era a assinatura dele a desejada.

Ele queria o autógrafo de um jogador específico, de seu ídolo, o norte-americano Christian Pulisic, colega de Jorginho no Chelsea.

Uma das camisas, com o número 10, era da seleção dos EUA. A outra, com o número 22, do Borussia Dortmund, time alemão que Pulisic defendeu antes de se mudar para Londres. As duas tinham o nome do jogador americano acima dos algarismos.

Restou a Justin lamentar, em tom de indignação, em um post em sua conta em uma rede social.

"Tentei que Pulisic assinasse camisas dos EUA e do Dortmund no treino do Chelsea. Em vez disso, Jorginho se aproximou de forma surpreendente e de imediato assinou as duas, sem perguntar. Não tenho ideia por que [fez isso]. Minhas camisas estão agora arruinadas e eu estou muito decepcionado."

Um outro fã perguntou por que ele não impediu o ítalo-brasileiro de "estragar" as camisas, e Justin concordou que deveria ter agido dessa forma, mas que ficou sem ação naquele momento.

"Lamento não ter feito isso, porém eu fiquei chocado. Não esperava isso de jeito nenhum."

Caso Justin não consiga, com uma lavagem, excluir as assinaturas de Jorginho, elas estarão permanentemente onde jamais deveriam ter estado.

E o que deveria ser lembrado como um dia de comemoração, que teria proporcionado uma conquista que causaria inveja em conhecidos, será sim lembrado, só que como um dia infausto, de desgosto, de mico.

Só que a narrativa não terminou aí.

Justin postou na noite desta quinta (14) novas informações do caso. Ele retornou três dias depois ao mesmo lugar em que colheu, sem querer, os autógrafos de Jorginho.

O relato do seu infortúnio chegou de alguma forma ao elenco do Chelsea, e dessa vez Pulisic foi até ele e acrescentou sua assinatura nas camisas, dizendo ao seu admirador: "Ah, então era você!".

Justin terá de se conformar em ter o nome de Jorginho onde não queria, mas ao menos o de seu ídolo está lá também, e ele ainda teve a oportunidade de se encontrar pessoalmente com o craque.

Ou seja, uma história com um final, se não exatamente feliz, pelo menos satisfatório.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos