Audi entrará na Fórmula 1 a partir de 2026

Logo da Audi durante evento de automóveis em Bangcoc, Tailândia

Por Abhishek Takle

SPA-FRANCORCHAMPS, Bélgica (Reuters) - A Audi entrará na Fórmula 1 a partir de 2026 como colaboradora de uma das equipes existentes no campeonato e usando um novo motor a ser construído na Alemanha, anunciou a empresa nesta sexta-feira.

A marca premium de propriedade da Volkswagen disse que revelará até o final do ano qual equipe será parceira no início de uma nova e mais sustentável era para o esporte.

A marca está em negociações com o Sauber Group, com sede na Suíça, cuja equipe compete sob o nome Alfa Romeo, segundo relatos da Reuters e outros meios de comunicação.

Aston Martin e Williams, que usam motores Mercedes, também manifestaram interesse em se associar à Audi.

"A Fórmula 1 é tanto um palco global para nossa marca quanto um laboratório de desenvolvimento altamente desafiador", disse o presidente da Audi, Markus Duesmann, em um comunicado que coincidiu com uma entrevista coletiva em Spa-Francorchamps.

A Fórmula 1 terá novos motores a partir de 2026 com foco na sustentabilidade e em um futuro mais econômico. A categoria de propriedade da Liberty Media estabeleceu a meta de ser neutro em carbono até 2030.

As novas regras também trarão maior eletrificação e uso de combustível sustentável avançado, com os fabricantes de motores também sujeitos a um teto de custo a partir da próxima temporada.

As operações de motores da Audi serão baseadas em Neuburg an der Donau, perto da sede da montadora em Ingolstadt, com uma subsidiária separada da Audi Sport sendo fundada para o projeto.

A Porsche, outra marca do Grupo Volkswagen, também deve entrar na Fórmula 1 em 2026 em parceria com os atuais líderes do campeonato Red Bull.

A Audi foi 13 vezes vencedora das 24 Horas de Le Mans antes de abandonar a competição em 2017 e a marca tem um pedigree que remonta às corridas pré-Segunda Guerra Mundial como Auto Union.

A companhia continuará a competir no Rally Dakar, anualmente realizado na Arábia Saudita, com um protótipo elétrico, além de corridas de clientes com carros GT.

(Reportagem de Jan Schwartz)