Atleta do projeto Tênis na Lagoa é vice-campeão Brasileiro em Uberlândia

Divulgação


Atleta do projeto Tênis na Lagoa - Instituto Mirania Gomes Borges -, Antonio Vitor foi vice-campeão, nesta quinta-feira, na categoria 16 anos do Campeonato Brasileiro de tênis realizado em Uberlândia (MG), com organização da Confederação Brasileira de Tênis, a CBT.

Antonio Vitor, de 15 anos, caiu diante do paulista Breno Bergantini por 7/5 4/6 6/2: "Foi uma pena, o Vitinho jogou muito bem e escapou no detalhe. Mas foi uma ótima campanha, ele deve ficar perto dos 30 melhores do país e poderá jogar torneios maiores Sul-Americanos do Cosat a partir de agora. Foi uma baita experiência para seu crescimento como tenista", avaliou Alexandre Borges, seu treinador e coordenador do Tênis na Lagoa.

O atleta treina nas quadras públicas da Lagoa Rodrigo de Freitas, onde o projeto é sediado e veio para o campeonato com apoio financeiro de Alexandre Borges, uma vez que ainda não conta com patrocínios.

Filho de porteiro de prédio em Ipanema com doméstica, ele disputou torneios no fim do ano passado em Portugal após uma vaquinha virtual arrecadar R$ 25 mil para os custos da viagem e voltou na bagagem com uma série de títulos em simples e duplas com o parceiro do projeto, Carlos Henrique, morador da Cruzada São Sebastião.

Sobre o Projeto Tênis na Lagoa

Fundado em 2004 por Alexandre Borges, professor e apaixonado por tênis desde a infância, o Projeto Tênis na Lagoa - Instituto Mirania Gomes Borges surgiu inicialmente como uma iniciativa particular para atender crianças e adolescentes de comunidades carentes do Rio de Janeiro. Em 2020, o projeto tornou-se Instituto Mirania Gomes Borges em homenagem à mãe de Alexandre.

Com o objetivo de promover o desenvolvimento humano e a inclusão social por meio da prática esportiva, o projeto utiliza as quadras públicas localizadas em frente ao Clube Monte Líbano, na Lagoa Rodrigo de Freitas. Teve início assim a oferta gratuita de aulas de tênis para a população em vulnerabilidade social da região.

Tendo como princípios a construção coletiva, o respeito à diversidade, a educação integral e a autonomia, o Tênis na Lagoa começou atendendo inicialmente cerca de 60 crianças de comunidades próximas.

Hoje, mais de 160 crianças e adolescentes são atendidos pelo projeto não apenas com aulas de tênis, mas acompanhamento psicológico, aulas de inglês e yoga, passeios educativos, entre outras atividades. Aqueles que se destacam têm ainda a oportunidade de integrar a equipe de competição, representando o Tênis na Lagoa em viagens por todo o país e até pelo mundo.

Atualmente, Alexandre conta com a ajuda de sua esposa, Paula Borges, um grupo de voluntários e alguns apoiadores conhecidos, como o ex-tenista Thomaz Koch, padrinho do projeto desde a sua fundação. Dezoito anos após o início das atividades, 4.500 crianças já tiveram sua vida impactada pelo Tênis na Lagoa.

O Projeto Tênis na Lagoa atende crianças e adolescentes das comunidades carentes da Rocinha, Vidigal, Cruzada, Cantagalo, Tabajara, Pavão-Pavãozinho, Rio das Pedras, Muzema entre outros na capital carioca.

Muito além de forehands e backhands, o objetivo do projeto é proporcionar a melhoria na qualidade de vida e o desenvolvimento integral de pessoas em vulnerabilidade social por meio da força de transformação do esporte.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos