Atlético-MG e Palmeiras voltam a se enfrentar após polêmica envolvendo Cuca e Abel Ferreira

Abel Ferreira e Cuca colocam seus times frente a frente nesta quarta (Foto: Divulgação/Palmeiras/Atlético-MG)


Nesta quarta-feira, às 21h45, Atlético-MG e Palmeiras voltam a se enfrentar na temporada, desta vez pelo Brasileirão. Os recentes encontros entre os treinadores Cuca e Abel Ferreira renderam inúmeras polêmicas. O último, inclusive, contou com declarações fortes que perduraram até depois da partida.

> Lembre os últimos jogos da Seleção Brasileira antes de Copas do Mundo
> Veja os uniformes das seleções lançados para a Copa do Mundo

Após o Verdão eliminar o Galo nas quartas de final da atual edição da Libertadores, o técnico do time mineiro lamentou o resultado e alegou que o jogo de sua equipe foi dificultado mesmo com dois atletas a mais. Na coletiva do português, entretanto, o comandante palmeirense explicou o que o adversário deveria ter feito para vencer o confronto.

- O Cuca é experiente, vai ver que tinha muita gente fora do nosso bloco, e tem que ter gente por dentro para atacar nossa linha. Ele tinha os pontas por fora, os dois laterais abertos, os zagueiros por trás, mas poucos jogadores por dentro do nosso bloco. Isso, para nós, foi mais fácil de controlar - disse o treinador alviverde.

Na partida seguinte, Cuca foi questionado sobre a “aula” do adversário e respondeu que, quando se vence, tudo é perfeito. O comandante do Galo ainda citou a ausência de Abel durante a decisão por pênaltis.

> Confira a tabela completa e simulador do Brasileirão!

- Quando você está vencendo, tudo que você faz é perfeito, bonito, maravilhoso. Se você sai para o vestiário e vai escutar música na hora dos pênaltis e ganha, vira moda. E se perdesse? Se a derrota vem para eles nesse jogo, vocês estavam cobrando as duas expulsões, as seis quedas do goleiro no mesmo canto, o treinador que não ficou para os pênaltis - desabafou.

Após alguns saírem em defesa de Cuca e outros ficarem do lado de Abel Ferreira, o treinador do Atlético fez questão de esclarecer o que disse em entrevista coletiva e reforçou que não houve nenhuma ofensa.

- Quando ele me pegou de surpresa naquela pergunta, eu respondi com a maior naturalidade possível que um cara pode falar, mas sem ofensa a ninguém. Eu simplesmente falei, e quis deixar entendido que a vitória te dá o direito de tudo e você tem razão. Na derrota, você não tem razão. Foi isso que eu fiz. Não tive maldade e nem ofensa para ninguém, nem para o Palmeiras, muito menos para o Abel - explicou Cuca.

Já o treinador palestrino, por sua vez, aproveitou a coletiva da última rodada do Brasileirão para também explicar o seu lado e dizer que não tem nenhum inimigo no futebol.

- Quando eu falo um minuto e vocês tiram 10 segundos para mostrar ao Cuca o que eu disse, vocês esquecem que eu disse que ele é um dos melhores treinadores. Ninguém quis saber disso, só foram falar outras coisas. Eu não tenho e nem quero ter inimigos. Não posso julgar pessoas que eu não conheço. Eu não tenho nada contra ninguém e nem quero ter - ressaltou o português.

Até o momento, foram oito duelos entre Cuca e Abel. Uma vitória do brasileiro, uma do português e seis empates.

Vale lembrar que, já que a derrota na final da Libertadores de 2020 aconteceu enquanto o atual comandante do Galo ainda estava no Santos, Cuca está invicto neste duelo pelo Atlético, com um triunfo e cinco resultados de igualdade.

Abel Ferreira, entretanto, não estará à frente da equipe alviverde nesta quarta. O técnico palmeirense foi expulso no clássico contra o Santos e cumpre suspensão. O auxiliar João Martins será o comandante.