Athletico-PR quebra hegemonia do Palmeiras e volta à decisão da Libertadores

SÃO PAULO, SP, 06.09.2022 – COPA-LIBERTADORES; Jogadores do Athletico-PR comemoram classificação - Partida entre Palmeiras e Athletico-PR, válida pela partida de volta da Copa Libertadores da América 2022, realizada no Allianz Parque, na zona oeste da capital paulista, na noite desta terça-feira. (Foto: Marcello Zambrana/Agif/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 06.09.2022 – COPA-LIBERTADORES; Jogadores do Athletico-PR comemoram classificação - Partida entre Palmeiras e Athletico-PR, válida pela partida de volta da Copa Libertadores da América 2022, realizada no Allianz Parque, na zona oeste da capital paulista, na noite desta terça-feira. (Foto: Marcello Zambrana/Agif/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Nesta terça-feira (6), o Athletico-PR e impediu o Palmeiras de chegar a sua terceira final seguida na Copa Libertadores. No Allianz Parque, a equipe visitante foi buscar um empate, por 2 a 2, depois de estar perdendo por 2 a 0. No agregado, somou 3 a 2 já que havia vencido na ida, por 1 a 0.

Campeão em 1999 e nas duas últimas edições, de 2020 e 2021, a equipe palmeirense buscava seu quarto troféu continental. Já o Athletico-PR terá mais uma vez a chance conquistar o inédito título. Em 2005, o time de Curitiba chegou à decisão, mas acabou superado pelo São Paulo.

Desta vez, contou com gols de Pablo e Terans para voltar à final do torneio continental. Gustavo Scarpa e Gustavo Gómez também marcaram na partida.

A final será em 29 de outubro, no estádio Monumental Isidro Romero Carbo, no Equador. E o Flamengo deverá ser o adversário da equipe de Felipão. No primeiro jogo da outra semifinal, o time carioca ganhou do Vélez por 4 a 0.

Durou somente três minutos a vantagem construída pela equipe paranaense no jogo de ida. Após roubar a bola no meio de campo, os donos da casa contaram com sucessivos erros de marcação de Fernandinho e Pedro Henrique para abrir o placar com Gustavo Scarpa, que entrou sozinho na grande área.

O Palmeiras até controlou o jogo depois disso, mas não conseguiu converter sua superioridade em campo em mais gols. Pior do que desperdiçar, ao menos, duas chances claras, uma delas com Bruno Tabata livre na grande área, foi perder um jogador antes do intervalo.

Aos 47, Murilo foi expulso após uma dura entrada em Vitor Roque. O palmeirense acertou a coxa do rival com a sola da chuteira. Inicialmente, o árbitro uruguaio Esteban Ostojicj deu um cartão amarelo para o zagueiro, mas mudou sua marcação após revisar o lance no VAR (árbitro de vídeo).

Na etapa final, mesmo em desvantagem numérica, o Palmeiras conseguiu chegar ao segundo gol logo aos nove minutos, com Gustavo Gómez, de cabeça. À essa altura, a vaga estava nas mãos do time da casa.

O cenário só mudaria aos 19, quando Pablo descontou. Com 2 a 1 no Allianz, o placar agregado apontava 2 a 2 e a definição da vaga se arrastava para os pênaltis. Aos 39, porém, Terans empatou a partida e deu a vaga para o time paranaense.

PALMEIRAS

Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Murilo, Gustavo Gomez e Piquerez (Merentiel); Gabriel Menino (Atuesta), Zé Rafael, Bruno Tabata (Luan) e Gustavo Scarpa; Dudu e Rony (Wesley). Técnico: Abel Ferreira.

ATHLETICO-PR

Bento; Khellven; Pedro Henrique, Thiago Heleno e Abner (Pedrinho); Fernandinho, Erick (Pablo) e Alex Santana (Terans); Vitinho, Canobbio (Rômulo) e Vitor Roque (Matheus Fernandes). Técnico: Paulo Turra.

Estádio: Allianz Parque, em São Paulo (SP)

Árbitro: Esteban Ostojich (URU)

Assistentes: Carlos Barreiro (URU) e Andres Nievas (URU)

VAR: Nicolas Gallo (COL)

Cartões amarelos: Alex Santana (ATH), Gabriel Menino (PAL), Canobbio (ATH), Pedrinho (ATH), Thiago Heleno (ATH), Weverton (PAL)

Cartões amarelos: Gabriel Menino e Weverton (PAL); Alex Satana, Canobbio, Pedrinho e Thiago Heleno (ATH)

Cartões vermelhos: Murilo (PAL)

Gols: Gustavo Scarpa (PAL), aos 2'/1ºT; Gustavo Gómez (PAL), aos 10', Pablo (ATH), aos 18', e Terans (ATH), aos 40'/2ºT.